quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Loona segue maravilhoso com Yves, 'New', maçãs e várias teorias da conspiração para minha fanfic


Bom, todos vocês já devem saber que a BlockBerry Creative irá debutar um girlgroup chamado Loona, com 12 integrantes e que, antes disso, eles resolveram dar um solo para cada uma das meninas. Devem saber também que, nesse ano que passou, eles deram um jeito de ~atrasar~ isso montando algumas subunidades, além de criarem todo um universo interpretável através das músicas e videoclipes, com uma porrada de easter eggs aqui e ali, com todo o projeto tomando uma proporção criativa bem audaciosa.

Com 8 garotas e 2 units e sei lá quantas possíveis aparições em meio top de melhores do ano, é hora de conhecermos a mais nova gata do grupo: Sulli Yves, dando a tacada inicial na fase final de pré-debut com New...


Musicalmente, "New" dá continuidade nas experimentações eletrônicas em solos do grupo. Se traçarmos uma linha do tempo, é bem possível identificarmos uma evolução nas propostas sonoras dadas para cada uma delas. Inicialmente, as apostas estavam em produções mais orgânicas, retrôs, quase orquestrais. Da ViVi em diante, uma série de elementos contemporâneos foram inseridos nos releases, mas sempre diferenciados entre si.

Aqui, temos algo interessantemente alinhado com o que essa galera que fica no limiar entre o Pop e o indie eletrônico fazem. Com devidas adaptações, estaria em casa no repertório de nomes como BANKS, The XX, Lorde, dentre outros. E sendo bem honesto, isso é algo realmente bom. O K-Pop tem passado por um momento onde boa parte das faixas são demasiadamente parecidas, com poucas variedades e distinções. Ter um número oitentista, porém contemporâneo, como "New" na minha playlist diária é um bom sopro de novidade, mesmo que ela não fuja muito do tipo de coisa que essa galera ocidental que eu citei já faz comumente.

Ainda mais por a música ser maravilhosa. Isso dela ir crescendo instrumentalmente conforme os versos passam até começar o pancadão de verdade no refrão é uma tática que funciona muito bem, quase sempre me agrada e aqui não foi diferente. Os "All my life... By my life..." são extremamente grudentos, toda a melodia é de fácil reprodução e fica na cabeça por muito tempo.

Só é mesmo triste para mim, como blogueirinho digital influencer de fundo de quintal, querer manter uma certa coerência na hora de montar minha lista com as melhores músicas desse ano pro mês que vem, pois tenho certeza que essas últimas duas semanas até começar a soltar o top não serão o suficiente para que eu me apegue o bastante a "New" de modo que possa retirar alguma outra faixa que tenha escutado por meses do ranking. Uma reclamação besta, mas positiva para a Sulli Yves.


A b-side D-1 dá uma misturada em andamentos de R&B com ícones sonoros eletrônicos mais distorcidos. É bem melódica e funciona legal como acompanhamento ao prato principal que "New" é. Mas, é, no final, é só o acompanhamento mesmo, pois acaba não ficando tanto na cabeça e não despertando tanta vontade de repetir sozinha.

Ao fim, esse é ainda outro bom single retirado do projeto Loona. É bizarro o quanto elas têm acertado. Quer dizer, tirando os solos da ViVi e da menina lá de novembro do ano passado, que eu já esqueci o nome, as gatas não erraram em nada. O nível de aproveitamento do grupo, até então, está altíssimo. Parabéns aos envolvidos.

---

Btw, ainda que uma caralhada de easter eggs tenham sido jogados na nossa cara durante o videoclipe, não consigo pensar em nenhum plot coerente para o andamento do ~loonaverso~.

Continuo com a minha fanfic teoria de que o Loona é um grupo que está lutando contra a opressão aegyo, com uma evolução sendo mostrada na imagem do grupo conforme as eras passam ("Loona 1/3" representa a transição da infância pra pré-adolescência, "Odd Eye Circle" mostra as descobertas adultas na adolescência). Pode ser que esse terço final do grupo apresente já a faceta feminina mais madura, que guiará as outras integrantes pelo caminho correto. Por isso a Sulli se mostra tão confiante, sempre com essa expressão facial jocosa...


Sendo "rigorosa" com garotos...


Treinando amorzinho oral...


E distribuindo o "pecado" para as outras integrantes provarem...



Ela e as outras meninas finais podem representar algum tipo de deidade dentro do ~loonaverso~, ou podem apenas representar o futuro, visto todo o lance de voltar no tempo e revisitar o passado com as fitas...


Quer dizer, já sabemos que os conceitos de tempo e espaço dentro do ~loonaverso~ são bem amplos. Não duvidaria se a unit final representasse mesmo a maturidade/futuro e o papel dela nisso tudo seja influenciar o passado de modo a moldá-lo para que ele vá por um caminho mais agradável e interessante. Passando do "patinho feio" para o poderoso cisne do final da história...


E que, para isso...





ELAS PRECISASSEM SALVAR A PIRRALHA DAS MÃOS DO SAPO ASQUEROSO QUE A ESTÁ MANTENDO PRESA NA FLORESTA DESDE JANEIRO!!!!!1

De qualquer forma, só saberemos mesmo nos próximos clipes, quando as coisas começarem a ganhar um formato mais palpável. Enfim, Loona rainhas, YG nadinha!

Um comentário:

  1. Quem é essa Sulli que vcs tão chamando a Yves e de onde vem a zoeira com a menina presa cu sapo desde janeiro, gente? Hahaha De qualquer modo, vi esse vídeo extenso de teoria que fechou o LOONAVERSO inteiro! TÁ FODÍSSIMO, FAZ MT SENTIDO! E, o que achei mais legal, é que a teoria é baseada principalmente em uma única imagem que a BBC disponibilizou pré-release da Yves. Sério, dêem uma olhada, vale mt a pena! https://www.youtube.com/watch?v=hiwRASxTwKI

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...