domingo, 13 de agosto de 2017

Throwback Playlist | 2002s Asian Pop


Mais um mês, mais uma playlist relembrando algumas das melhores faixas asiáticas lançadas na década passada. 2000 e 2001 já rodaram, é hora de mergulharmos em 2002, um ano inútil para o Pop coreano, mas explosivo para o japonês, com várias j-divas soltando álbuns com alguns de seus maiores clássicos e escrevendo de vez seus nomes nos cenários de lá.

Cliquem ai no "continuar lendo" para ter acesso ao player do MixCloud e aos comentários faixa a faixa. Lembrando que, para passar de track, é necessário ir avançando na barra de execução...




01) Do As Infinity - Shinjitsu No Uta: Essa aqui é não só a minha favorita entre as tão boas faixas utilizadas na trilha sonora de Inuyasha, mas também o melhor troço que o Do As Infinity já lançou. A mistura de elementos tradicionais e folclóricos com os instrumentos atuais, além da interpretação da vocalista e da letra ~mística~, faz dessa power ballad algo maravilhoso e emocionante de se escutar...

02) Utada Hikaru - Sakura Drops: Nessa mesma linha tradicional, temos um dos melhores singles já lançados pela Utada e, provavelmente, sua canção assinatura. Bicho, que música linda, envolvente, transcendental, arrebatadora. Cada momento dela é como se anjos tivessem encharcando minha alma com vida. E quando a guitarra entra ao final? Puta que pariu...



03) Akeboshi - Wind: Pra ser honesto, eu levei um susto aqui quando me dei conta de que a primeira temporada de Naruto rolou no Japão em 2002. Eu jurava que a delícia só tinha começado lá por 2004, 2005... De qualquer forma, esse primeiro encerramento é um dos grandes destaques entre os muitos singles que seriam lançados a partir do anime. E é ainda outro a utilizar dessa mistura de instrumentais contemporâneos com ícones tradicionais...

04) Utada Hikaru - Letters: O "Deep River" é tão incrível, tão atemporal e tão cheio de clássicos que me foi uma tarefa dificílima separar o que entraria aqui. "Letters" entrou por conta do instrumental hispânico que vai crescendo conforme os versos passam. Quando o final chega, não tem como saber se é pra dançar ou se emocionar...

05) Mika Nakashima - One Survive: 2002 foi um grande ano para a Mika Nakashima, com ela lançando diversos singles e depois um LP bem interessante com eles. "One Survive" é a minha favorita nele a seguir essa linha Disco setentista, com um refrão delicioso de escutar e uma melodia bem marcante...



06) Capsule - Music Controller: É uma pena que a galera mais nova que escuta Pop asiático meio que caga para o Capsule, mesmo com esses instrumentais jogando referências de antigamente e conceitos futuristas num liquidificador que um monte de gente lança hoje já ter sido feito em qualidade bem alta pelo Nakata lá atrás. "Music Controller" também foca nas discotecas, mas como se os sons fossem feitos através de um fliperama e a Toshiko fosse uma inteligência artificial dos infernos...

07) Ayumi Hamasaki - Connected: A Ayu estava com bastante fogo para lançamentos no início da década passada, vindo em 2002 com dois álbuns. Tá que o primeiro deles, "I Am...", serve mais como um encerramento para a era anterior dela, com todos os singles num lugar só. Mas "Connected" fez bem o papel de novidade que o trabalho necessitava, com ela mergulhando na Dance Music numa atmosfera futurista legal de escutar...

08) Morning Musume - Ikimasshoi!: Toscas do Morning Musume vindo com outra de suas faixas esquizofrênicas, cheias de elementos malucos e letras ridículas. Que período fértil. Obviamente, eu adoro essa bobagem...



09) Kotoko - Shooting Star: OST de Onegai Teacher, pegando todos os maneirismos que eu tanto curto do synthpop oitentista e inserindo uma interpretação ainda mais exageradamente emotiva. Saudades desse tipo de coisa em animes...

10) Ayumi Miyazaki - The Last Element: Ainda dentro desse universo, a temporada "Frontier" de Digimon, uma das minhas favoritas da franquia, também rendeu um punhado de faixas maravilhosas e com replay factor altíssimo. A guitarra aqui me agrada demais e dá todo o tom desesperado que a produção exige...

11) Ayumi Hamasaki - We Wish: O outro álbum da Ayu em 2002, "Rainbow", tem coisas que me agradam e coisas que me desagradam, mas o saldo ainda é positivo (os anos 2000 foram ótimos para ela). A minha favorita dele, com toda certeza, é "We Wish", um Pop/Rock de interpretação dramáaaatica, versos envolventes e um refrão fortíssimo...

12) Puffy - Planet Tokyo: Aaaaaarrgghh, como eu amo essa aqui! Porra, o Puffy foi um grupo tão legal e as tentativas delas acontecerem internacionalmente foram tão proveitosas em qualidade. Escutar "Planet Tokyo" hoje em dia me leva direto para o final do meu Ensino Fundamental, quando eu ia para lan houses catar músicas delas para colocar no meu ridículo aparelho de mp3 a pilha. Nostalgia... <3



13) Kouji Wada - Fire!!: Um hino desses. Se bobear, é a segunda melhor de todas as feitas para os animes de Digimon em todos os tempos (Target segue imbatível no topo até hoje). Que refrão sing-along! Não é de graça que esse deve ser um dos temas mais reproduzidos por fãs sempre que surge alguma ocasião...

14) Do As Infinity - One or Eight: A b-side de "Shinjitsu no Uta" não consegue ser tão boa quanto ela (tarefa quase impossível, convenhamos), mas ainda assim agrada por ser um Pop/Rock bem divertido e descontraído, focado unicamente em fazer a galera pular de um lado pro outro enquanto escuta...

15) Kouji Wada - With The Will: Mais Digimon, mais Rock/Pop legal para ouvir e repetir várias e várias vezes. "With The Will", em especial, tem uma melodia inicial muito marcante e grudenta, algo comum à todas as faixas escolhidas para as animações de digievoluções...



16) Koda Kumi - Love Across the Ocean: O tecladinho (ou sintetizador?) dos primeiros segundos dessa é tão Spice Girls, casando tão bem com o instrumental mais pesado colocado em toda a faixa. No timbre da Koda, o resultado não poderia ser menos que maravilhoso...

17) Utada Hikaru - Let's Be Happy: Utada enganando todo mundo fazendo essa parecer uma baladinha ao piano apenas para "Let's Be Happy" ir adquirindo elementos urban a partir do primeiro refrão. Ótima farofa...

18) Koda Kumi - Feel Me: Pra ser honesto, não curto tanto o primeiro LP da Koda Kumi. As canções se parecem demais e os maiores destaques são justamente os singles que ela lançou nos anos anteriores. Das inéditas, a que mais gosto é "Feel Me", escolhida para ilustrar a existência do "Affection" nessa playlist...



19) BoA - No. 1: Olá, capopeiros! Vocês ainda estão aqui? Eu sei, os primeiros anos da década passada foram difícil para os atos coreanos, com tudo soando muito amador e não sendo minimamente desfrutável hoje em dia. Porém, BoA, rainha da porra toda, já estava pisando em todo mundo e soltando trecos que sobreviveram ao tempo e ainda funcionam muito bem. "No. 1" é um clássico e fará as vezes de representar o K-Pop aqui nesse post - até porque, nada melhor saiu por lá mesmo...

20) Utada Hikaru - Deep River: A faixa que dá nome ao icônico álbum da Utada é uma balada lindíssima, um tanto reflexiva, levada por ela numa interpretação mais puxada para a melancolia que totalmente funciona quando casada com o instrumental mais rebuscado...

21) Mika Nakashima - Will: As baladas da Mika Nakashima funcionam tanto comigo. Eu tenho total noção de que coisas como "Will" até acabam entrando em uma zona mais cafona, mas a real é que, talvez por isso, ela seja tão bacana de escutar...



22) BoA - Every Heart: Mais uma de Inuyasha, dessa vez na voz da BoA, sendo um grande sucesso dela por lá e também um ótimo passo para que ela se firmasse de vez no cenário nipônico. Vendeu mais de 80 mil cópias e ficou 10 semanas no chart da Oricon. Além disso, serviu de lead single para o álbum de debut dela por lá, com quase 1 milhão de cópias vendidas até então...

23) Capsule - Plastic Girl: Mais um número eletrônico dançante bonitinho e vibrante do Capsule. Tira a Toshiko do porão, Nakata, quero mais trecos cult/farofeiros assim com ela hoje em dia, nem que seja nesse seu vício em EDM/Grass...



24) Oranges & Lemons - Soramimi Cake: Azumanga Daioh deve ter sido um dos melhores animes da primeira metade dos anos 2000, acertando em tudo em seu formato de curtas colegiais de humor. Nisso, a opening não faz feio, sendo um Pop adocicado bem gracioso de calmante de escutar...

25) Mai Nakahara, Etuko Kozakura - Pretty Cake Magic: E se vocês duraram até o final, sintam-se agraciados com a merdavilhosa abertura japonesa de Mirmo Zibang, um dos troços mais ridículos (e divertidos) feitos no Japão em termos musicais nos últimos anos...

Resultado de imagem para mirmo zibang gif

---


Mas, e aí, faltou alguma coisa? Deixem suas sugestões para as próximas. Mês que vem tem mais... ;)


Canal do Esquadrão Lunático no MixCloud

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...