quarta-feira, 19 de julho de 2017

TOP 40 | As melhores faixas do J-Pop em 2013 (25ª até 11ª)


E aqui estamos com a segunda e penúltima parte desse ranking relembrando algumas das melhores faixas japonesas lançadas durante o ano de 2013. No post anterior, tivemos trocentas faixas de girlgroups espalhadas junto com alguns números rockish, OSTs de anime e atos produzidos pelo Nakata na época que ele ainda tinha vergonha na cara.

Dessa vez, vamos com as selecionadas entre a vigésima quinta posição e a décima primeira, aquele momento em tops desse tipo onde aparecem músicas que são lindas, inesquecíveis, quase como jóias às suas respectivas épocas, mas que, por pura subjetividade desse blogueiro tosco que quase chorou com a season finale de "Master of None", acabaram não ficando entre as 10 mais.

Será que eu ignorarei mesmo a Namie Amuro? Quantas músicas do "Level 3" eu ainda consigo enfiar aqui? Enfim, façam suas apostas e vamos lá...

25) GIRLS' GENERATION - MOTORCYCLE


O "Love & Peace" é um álbum tão gostoso, tão divertido e que desce tão redondo que me foi um sacrifício ter que escolher tão poucas faixas deles para incluir nessa lista. É incrível a maneira como o Girls' Generation encheu o LP com canções deliciosamente descontraídas e com um replay factor tão alto. E a descontração é tanta que fomos presenteados com "Motorcycle", uma bobagem sexual maravilhosa, com elas querendo "pilotar uma moto" com o cara a noite toda, pedindo para ele enfiar a chave na ignição delas para sentir o ronco de seus motores e outras sapecagens do tipo. RAINHAS DO DUPLO SENTIDO MESMO, BICHO...


- x -

24) TOMMY FEBRUARY6 - ANGEL FADE


"Angel Fade" é, certamente, o momento mais farofeiro do álbum da Tommy February6, com os versos mais melancólicos servindo só de porta de entrada para o pancadão que vem no refrão duplo, algo totalmente envolvente e propício para ralar a xaprosca no chão na balada ou enquanto damos aquela faxina na casa...


- x -

23) PERFUME - CLOCKWORK


Amo o clima mais soturno colocado em "Clockwork", que revela uma faceta mais pra baixo surpreendente do grupo, com elas recitando de maneira robótica – e sinistra, quase assustadora – sobre o quanto têm poder em suas mãos usando a metáfora de um relógio mágico: “O Senhor Relógio sorri / Enquanto eu giro as suas engrenagens / Ele quer que eu continue a girá-lo / Porque ele ainda não está em seu limite / O sorriso do Senhor Relógio nunca muda / Mas nós sempre podemos mudar o mundo / Com o seu botão” – tudo isso num instrumental sombrio que me lembra New Wave e Brit Techno. Os acordes final são de arrepiar...


- x -

22) ANGELA - ANGEL


Ainda na gaveta das trilhas sonoras para animes, "Angel", da dupla Angela, também entregou para o delicioso "Coppelion" exatamente o clima esperado para produções desse tipo. O anime falava de adolescentes geneticamente modificados para serem imunes à radiação provocada por um acidente nuclear em Tóquio. Nisso, a canção é um Pop/Rock com elementos tradicionais nipônicos que segue numa vibe um pouco mais soturna, mas sem deixar a energia cair em momento algum...

- x -

21) KODA KUMI - PINK SPIDER


"Pink Spider", do Hide, está naquela listinha de faixas obrigatórias para todos os que começaram a escutar música Pop japonesa nos anos 2000. O clipe deve ter passado umas duzentas vezes naqueles Disk MTV Mundo, além de ter sido presença obrigatória em salas temáticas de eventos de anime enquanto eu os frequentava. Dito isso, Kodão Kumi chocou a todos com uma versão Dance eletrônica em seu álbum de covers de 2013, o (bom) "Color the Cover". Para melhorar ainda o pacote, o MV conta com ela piranhando bastante tendo como temática o mangá "Buffalo 5-Girls". Tem como não amar?


- x -

20) TOMMY HEAVENLY6 - CAN YOU HEAR ME?


Eu já falei aqui sobre o ~lado red~ da Tomoko Kawase com a Tommy February6 e suas farofas oitentistas. Hora de explorar o ~lado velvet~ da delícia, com ela encarnando uma gótica suave das trevas. Um dos destaques de seu LP foi "Can You Hear Me?", uma baladinha que se assemelha a tudo o que de bom a Avril Lavigne lançou em inicio de carreira, mas com um pouco mais de peso instrumental e o auxílio de um videoclipe trash que acertivamente não nos deixa levar tudo muito a sério, dando todo um ar descompromissado à produção. A propósito, as semelhanças com a Avril Lavigne não param na sonoridade, mas também no fato dela não envelhecer de jeito nenhum. Acreditem se quiser, mas ela estava com 37 anos dessa época...


- x -

19) KYARY PAMYU PAMYU - INVADER INVADER


"Invader Invader" é uma maluquice. Quando achamos que a música irá para um lado, visto o instrumental e toda a melodia dos versos indicarem um caminho específico, mais down, chega o refrão e as coisas mudam completamente, explodindo num troço energético, só para depois entrarem uns breaks aleatórios e OSHALEITES na nossa cara. Rainha harajuku mesmo, bicho, não tem pra ninguém...


- x -

18) LISA - TRAUMEREI


Caramba, eu gosto tanto dessa aqui. Tá batendo até uma tristeza dela não estar mais acima no top. "Traumerei" entrega de maneira excelente aquele Rock/Pop que é um tiquinho pesado, mas ainda assim mais palatável e aceitável com pessoas que não curtem tanto esse tipo de som. O interessante é que eu nem vi se a faixa foi usada como OST de algum anime, mas eu perfeitamente consigo imaginar uma abertura com os protagonistas corrento de uma explosão ao fim disso, tamanha é a afinidade da LiSA em produzir coisas ideais para tal nicho...


- x -

17) BABYMETAL - MEGITSUNE


Ainda é socialmente aceito gostar de BABYMETAL? Eu sei que as coisas ficaram meio estranhas quando elas - e parte do público hipster internacional - começaram a levar o grupo a sério demais, o que fez com que o apelo tosco em toda a ideia de menininhas idol interpretando metal meio que fosse pelo ralo, mas trecos como "Megitsune" ainda me soam tão bons, tão divertidos e com um fator de repetição tão alto. Não tem como ignorar a existência disso...


- x -

16) SHISHIDO KAVKA - LOVE CORRIDA


O Japão é um dos poucos lugares do mundo onde os artistas entregam Pop/Rock de alta qualidade, convenhamos. Em outros lugares, ou fazem bem um Rock, ou bem um Pop. Mas um Popão com elementos orgânicos que conseguem se destacar em conjunto, bem tocado, bem cantado, grudento e de alto replay factor, é mesmo a cara do Japão. E é isso que "Love Corrida" é. Essa porra tem mais de cinco minutos e parece passar rapidinho, tamanha a descontração empregada nela...


- x -

15) MIKA NAKASHIMA - PIERCE


A Mika Nakashima voltou a ser pauta na blogosfera pedante fundo-de-quintal ao lançar seu mais recente álbum, o "TOUGH", sem nenhuma (?) faixa inédita. Felizmente, em 2013, ela ainda tinha vergonha na cara e colocou três ou quatro canções novas no ótimo LP que ela soltou naquele ano, o "REAL". A melhor delas foi essa balada aqui, recheada de elementos sonoros que fazem com que cada momento da canção seja aproveitável e empolgante. A percussão R&B mais gingada já desde o início é ótima, as cordas que aparecem no refrão dão aquele pé oriental, toda a interpretação vocal dela está no ponto. Um dos pontos altos da carreira da Mika e de 2013...


- x -

14) LINKED HORIZON - GUREN NO YUMIYA


"Attack On Titan" foi um anime de muitos defeitos, mas a trilha sonora, certamente, não estava entre eles, porque, caceta, que música envolvente, poderosa, energizante e ideal para encapsular o clima imediato e desesperado que o plot propunha. Há algo de épico em "Guren no Yumiya" que quase nem permite que ela seja levada na piada, mesmo com um clipe tão ridículo quando esse ai - e isso é um elogio e tanto para um número visual kei. Ponto para o Linked Horizon...


- x -

13) NAMIE AMURO - ALIVE


Eu já devo ter falado aqui umas trinta e quatro vezes que, por algum motivo aleatório, o repertório da Namie Amuro sempre passou despercebido em minha vida, mesmo já escutando J-Pop há um pouco mais de uma década. Então, me foi uma surpresa e tanto quando no início do ano passado escutei o "FEEL" pela primeira vez e ele já começou com algo tão explosivo quanto "Alive". A canção consiste, basicamente, na gostosa mandando umas frases em inglês enquanto rola um batidão eletrônico por trás. Porém, a produção disso é tão boa que é praticamente impossível não despertar uma vontade absurda de sair pulando quando os sintetizadores enlouquecem lá por 50 segundos. É como se a Namie fosse um tipo de entidade alienígena comandando uma rave intergalática e todos fossemos apenas raças inferiores em busca de conforto em nossos corações. Que hinão da porra!


- x -

12) ONE OK ROCK - CLOCK STRIKES


Ainda outro hino gospel do One Ok Rock seguindo fielmente os maneirismos impostos na fórmula certeira deles. É incrível como um refrão bem feito consegue criar clássicos instantaneamente. "Clock Strikes" foi o grande ápice do grupo naquele ano e naquela era, sendo também uma de minhas favoritas da discografia deles. Seria o One Ok Rock o meu equivalente ao Creed ou ao A7x naquilo de bandas melosas guilty pleasure toscas da adolescência? Provável...


- x -

11) AFTER SCHOOL - HEAVEN


Com a Kahi saindo de maneira conturbada do grupo, o After School precisava de algo grande em quesito de qualidade que lhe desse um novo gás, ainda mais em território nipônico, que seria seu principal foco em diante. Nisso, tivemos "Heaven", uma das músicas mais legais já lançadas por elas, totalmente inspirada na Disco, com uma veia orgânica muito interessante. É até trágico pensar que a Pledis é tão merda, mas tão merda, que até em comparação com a avex eles conseguem sair perdendo em relação à produção e divulgação de material...

- x -



Uou, agora só faltam as 10 melhores. Algum palpite? 

Spoilers marotos: 4 faixas de girlgroups, 6 de solistas. 1 delas é tema de anime, 5 delas são produzidas pela mesma pessoa.

Até sexta... ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...