domingo, 4 de junho de 2017

Raspa Semanal #14 | Produce 101, Sistar, Elris, April e +


E aqui estamos com mais uma raspa semanal, reunindo tudo o que poderia aparecer aqui no blog ao longo dos últimos dias, mas que acabaram não surgindo, ou por falta de tempo deste que vos escreve, ou por acreditar que, sozinhas, tais pautas não renderiam bons posts solos.

Sem mais delongas, vamos lá...

SISTAR - LONELY


Eu gostaria de ter um pouco mais a falar do disband do Sistar, já que esse foi um grupo bem legal que soltou bastante coisa boa em seus anos de estrada, mesmo que nunca figurasse entre os meus principais numa escala de favoritismo. Mas a real é que não tem muito o que dizer de "Lonely" além de destacar o fato de essa ser uma boa faixa para o que se propõe, com um MV que encapsula bem o espírito de "vamos celebrar a amizade" que as quatro venderam muito bem enquanto juntas. Obviamente, tudo deve ser mentira, já que todas renovaram contrato com a Starship, mas resolveram disbandar mesmo assim, então elas devem se odiar bastante nos bastidores. Mas não é como se eu consumisse capope esperando a verdade por trás da indústria, certo? Abraços, Sistar...

- x -

SURAN - 1 + 1 = 0 (ft. DEAN)


Essa aqui me decepcionou bastante, pois a Suran vinha numa crescente bem legal, primeiro com aquela canção lá pro reality show com a Yenny e a mina do Spica, depois com a espetacular Wine, uma das minhas favoritas de 2017 até então. Nisso ai, uma parceria com o Dean poderia ser seu ápice, selando seu nome definitivamente entre as novas solistas a se prestar atenção na cena. Porém, "1 + 1 = 0" é muito fraca. Fica clara a intenção de fazer isso soar como um samba mais funkeado, mas a faixa não estoura em momento nenhum, vai de um lugar a outro e nada acontece. Faltou entrar uma percussão, uma bateria de escola de samba, sei lá. Que bosta...

- x -

BAEK A YEON - SWEET LIES (ft. THE BARBERETTES)


Ainda outra solista a se inspirar nas sonoridades brasileiras essa semana foi a Baek A Yeon. Porém, aqui as coisas deram um pouco mais certo, já que o instrumental já é mais encorpado desde o início, melhor montado. A voz dela também é bastante agradável, deliciosa de escutar, assim como o MV é bem divertido de acompanhar. Não sei se vai durar em minhas playlists, mas não tenho nada de negativo a destacar nisso aqui...

- x -

ELRIS - WE, FIRST


Já isso está uma merda inacreditável. O debut do Elris só está fazendo algum barulho na fanbase brasileira por uma das integrantes ser aquela Sohee, que participou do K-Pop Star e soltou um MV emulando a BoA. Diferente do conceito mais adulto adotado por ela, para o grupo, a empresa resolveu ir pelo white aegyo infantilóide que ninguém aguenta mais. "We, First" até poderia ser aceitável (destaque para o "aceitável", que não significa "bom") caso menos adocicada, menos aguda, mais contida. Mas não é esse o caso, então ignorarei-as para sempre...

- x -

S.E.T - NALARI


Nugus fazendo farofa com um clipe ridículo. Você quer, Elris?

- x -

ASTRO - BABY BABY


As fãs do ASTRO ainda estão vivas? Engraçado que elas enchiam o saco de todo mundo antes do debut, ai Hide and Seek saiu e elas de-sa-pa-re-ce-ram. Enfim... "Baby" não tá ruim não, viu? Só não está muito memorável, mas soa bem mais competente que tudinho que eles lançaram até aqui...

- x -

B.I.G - HELLO HELLO


Acho que para esse tipo de música funcionar, os produtores precisam inserir momentos nela que sejam bastante envolventes que vão se grudando, fazendo com que a atenção do ouvinte seja capturada do início ao fim, de vontade de cantar e etc., tipo "Growl", do EXO. "Hello Hello" deveria ter alguns desses momentos mais contagiantes. Sendo assim, prefiro continuar escutando "123" aqui...

- x -

LOCO - TOO MUCH (ft. DEAN)


Uma boa faixa urban que faz bom uso de um minimalismo instrumental...

- x -

UV X SHINDONG - MARRY MAN


O gordinho do SuJu se juntou com uma dupla de malucos lá pra essa bosta constrangedoramente maravilhosa. O JYP deve ter tacado o notebook na parede putaço por não ter tido essa ideia antes, pois esse 80s é bem o que ele adora soltar...

- x -

APRIL - MAYDAY


Todo o repertório de April, até então, tinha sido uma merda horrível, ofensiva, comparável a assistir um porco vomitando em cima de seus filhos enquanto os mesmo comem suas fezes e vomitam entre si. Porém, essa "Mayday" até que está bacana, remixando uma OST qualquer de um jogo de Game Boy Color e cantando de forma creepy por cima. Curti. E foda-se Lovesick...

- x -

SOLBI - PRINCESS MAKER


Eu não tenho a mais remota ideia de quem é essa solista, mas já estou stan por ela desde que vi essa faixa num post de um blog gringo. "Princess Maker" é um Dance farofeiro que mescla o eletrônico com instrumentos reais, deixando tudo a cara do Pop que faziam nos anos 90. É uma canção com bastante peso e pulso, mas que não deixa de ser contagiante em nenhum momento. E porra, QUE REFRÃO. Será que sobrevive até o fim do ano para pegar uma vaguinha do meu top 10? Pois, de verdade, isso aqui tem toda chance de ser um dos meus capopes favoritos de 2017...

- x -

Bom, eu não estou acompanhando o Produce 101 piroca vers. não, pois em vez de assistir um monte de caras se humilhando em provas ridículas, drama exagerado, shades previamente planejados e brigas totalmente desnecessárias para fazer sucesso com músicas ruins durante esse ano, prefiro focar o espaço de tempo que tenho para reality shows dessa temporada para... Pessoas de meia idade se humilhando em provas ridículas, drama exagerado, shades previamente planejados e brigas totalmente desnecessárias no ambiente culinário. Só que as faixas do "35 caras 5 conceitos" já estão entre nós, então vamos comentar. Já adianto que tá tudo uma porcaria... 

IT'S - SHOW TIME


Nossa, que troço constrangedor. Caras fazendo aegyo sempre resulta nesse tipo de besteira ai, além de a música nessa vibe farofa-Disney conseguir ser ainda pior e mais cafona. Nem a presença do pirralho fofinho que parece um coala conseguiu salvar isso. Vamos para a próxima...

- x -

BOYS UNDER THE MOONLIGHT - I KNOW YOU KNOW


Nem tá tão ruim assim, só demasiadamente esquecível. É que esses números masculinos mesclando Pop com Funk e Disco saem tantas vezes durante o ano que, para que colem comigo, eles precisam ter algo a mais, algo que grude. Pelo menos, vale pela presença ridícula do Moonbok Celso-Kamura-que-não-canta-não-dança-não-faz-rap-direito-mas-todos-gostam-pelo-cabelo-sedoso... 

- x -

KNOCK - OPEN UP


O instrumental EDM dessa está interessante, com variações bacanas e tals, mas o refrão poderia ser um pouco mais grudento. Chega no final e eu nem lembro mais o que se passou. Consequentemente, não tenho vontade de escutar novamente...

- x -

SLATE - OH LITTLE GIRL


Que Pop básico. Parece que os produtores nem tentaram fazer dessa aqui algo memorável. Blergh...

- x -

NATION'S SON - NEVER


A "melhorzinha" das cinco é esse Tropical House aqui. Só que, em comparação com sei lá quantos outros Tropical Houses lançados do ano passado pra cá, isso perde feio. Cadê uma versão masculina de 24 Hours? Ou de Yum Yum? Pois é, parece que fiz bem em não dedicar o meu tempo pra isso...

- x -

Faltou alguma coisa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...