domingo, 18 de junho de 2017

ANIME REVIEW | Kobayashi-san Chi no Maid Dragon (2017)


E ai que já estamos quase na metade do ano, com a segunda temporada de animes prestes a terminar e ainda me falta comentar uma produção lançada no inverno. Mas que timing delicioso o desse blog, não? Por isso que os otacos não vem mais aqui e só tenho capopeiros me seguindo.

Enfim, isso aqui já era para ter saído tem quase um mês, mas o fim de período na faculdade foi me impedindo de me dedicar. Sem mais enrolações e desculpas, aqui vão os meus dois centavos sobre Kobayashi-san Chi no Maid Dragon, desenho que, até então, tem se mostrado o melhor de 2017...



É bem legal observar reações do público quanto aos anúncios de lançamentos, sinopses etc., com a galera já condenando uma animação mesmo antes de assisti-la. Lembro de muita gente em mídias sociais já descartando "Kobayashi" e colocando a série numa prateleira de "nem-olhei-e-já-sei-que-não-presta". Lembro também que quando saíram os primeiros episódios, algumas opiniões positivas começaram a aparecer e, pouco a pouco, o anime foi ficando cada vez mais comentado.

Eu, já de início, já da ideia absurda de uma história sobre uma garota ~normal~ receber dragões em casa, com um deles se travestindo de empregada, me interessei.

Mas ai eu culpo o meu gosto totalmente aleatório por tramas que estão mais focadas em me trazer momentos de diversão que troços que tentam ser complexos, me obrigando a ter um pouco mais de critério para acompanhá-los, quase sempre resultando em decepções inacreditáveis pelo excesso de erros encontrados (um beijo, "Ajin" e "Youjo Senki").


E é bem para isso que serve esse anime, para divertir.

Não tem muito o que explicar de sinopse além do já dito: uma jovem chamada Kobayashi recebe em seu apartamento um dragão transformado em empregada, a Tooru. Isso é o clique inicial para outros dragões irem para aquele mundo, tendo de se habituar ao dia a dia cosmopolita, se adaptar a tudo o que acontece, trabalhar, fazer amigos, se divertir etc.

E então, os episódios exploram situações diferentes em esquetes de poucos minutos (ou segundos), indo desde as trapalhadas da Tooru como empregada, bobagens de escola entre a Kanna-chan e a Riko, a vida otaku em outro núcleo com o Fafnir e o Makoto, a bobagem erótica da Quetzalcoatl e assim por diante.


O episódio 10, "Troupe Dragon, On Stage! (They Had A Troupe Name, Huh)", comemorativo de natal, em especial, deve ter sido um dos troços mais engraçados que assisti nos últimos anos. Quando começam com a peça, misturando diferentes contos e estórias folclóricas num roteiro só, criando um dos momentos mais no-senses da temporada, lembro de descambar a gargalhar escandalosamente, a ponto de minha mãe vir ao meu quarto preocupada com o que estava acontecendo.

Honestamente, é para esse tipo de coisa que existem animes. Nisso, "Kobayashi-san Chi no Maid Dragon" é perfeito em todos os sentidos. É divertido pois o gimmick é eficiente, pois os personagens TODOS são um poço de carisma, pois o roteiro é sensacional, o timming das piadas é invejável.

De tudo o que assisti da temporada de janeiro e que tenho assistido dessa atual, ainda não enxerguei nadinha que pudesse sequer competir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...