segunda-feira, 15 de maio de 2017

Em 'Signal', meninas do Twice correm atrás de um oppa extraterrestre


E ai que as meninas do Twice já estão de volta (tem quanto tempo que elas lançaram Knock Knock?), dessa vez com um mini-álbum recheado de inéditas e mais uma porção de ideias num MV caprichadíssimo em que cada uma das meninas explora uma personagem diferente, algo que acabou se tornando a ~marca~ do grupo.

A propósito, essa é a primeira vez que o J. Y. Park está assinando a composição de um lead single das nove, meio que aumentando as expectativas desse comeback num geral, visto as faixas trabalhadas por elas serem sempre delegadas a outros produtores, algo comumente usado como reclamação entre os fãs e motivo de ataque entre os haters.

Será que a espera valeu a pena? Vejam ai Signal...



Para mim, valeu. Mas também não é como se eu não gostasse de quase tudo o que elas já promoveram ate aqui.

"Ooh-Ahh" é bem divertida e grudenta, "Knock Knock" tem uma aura roqueira energética que muito me agrada, "TT" segue como a minha favorita nesse pacote todo. Apenas "Cheer Up" eu considero uma bosta horrível, histriônica e inaudível, mas ai a gente finge que ela não existiu e segue a vida.

Eu lembro que rolou uma reação meio negativa ano passado quando o JYP deu a ótima Very Very Very para o I.O.I, com uma galera entre os once reclamando que ela deveria ter sido delegada ao Twice por motivos de... Bom, porque eles achavam que sim. De certa forma, acho que a vingança veio agora, já que "Signal" segue, basicamente, a mesma fórmula empregada em nomu nomu nomu.

Os versos repetitivos estão lá, a levada creepy mais descontraída, extremamente catchy, também, assim como os sintetizadores que parecem ter sido tirados de um fliperama antigo, tal qual Gee e Oh, do Girls' Generation, e Service, do Vividiva. Talvez numa primeira comparação, "Signal" fique devendo um pouco contra todas essas (acho que o tempo poderia ser um pouco maior), mas embora uma nota 8 não seja 10, ambas são consideradas ótimas e acima da média, certo?

O MV está uma delícia fumada...

Elas todas estão passeando no meio do mato, ai recebem uma rajada de raios extraterrestres e ganham super poderes...

Momo gostosa vira uma gostosa seduzente que corre rapidinho...

Jeongyeon gostosa bias vira Astrid Fontenelle dos anos 90 com o poder de congelar o tempo...

Eu esqueci o nome dessas ai, mas adorei o visual futurista...

Todas elas ficam atrás do oppa alienígena, assediando o cara como se tudo fosse um romance cyber punk, mas sem os momentos gore...

Ele fica assustadíssimo, até chama o Uber intergalático...

E elas ficam putíssimas, mas ainda fazem carão, com a menina de vestido azul do canto esquerdo se transformando lentamente na Hyolyn, do Sistar...



Eu não vou resenhar o mini-álbum não, mas com exceção da baladinha no final, todas as faixas estão bem divertidas de escutar, sendo até então o meu favorito delas. Em especial, vale citar essa "Only You", escrita pela HA:TFELT, Yenny do falecido Wonder Girls.

Curti esse comeback. Parabéns aos envolvidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...