segunda-feira, 1 de maio de 2017

TOP 40 | As melhores faixas do J-Pop em 2015 (25ª até 11ª)


Eis que, com mais de um mês de diferença entre um post e outro, aqui está a segunda das três partes da lista que relembra quais as melhores faixas da música Pop japonesa em 2015 - na opinião desse blog, é claro. Que atraso bisonho.

Como vocês já devem imaginar nesse tipo de top, aqui estão algumas das canções mais deliciosas, divertidas, sensuais, grudentas e espetaculares de dois anos atrás. Todas valeriam uma vaguinha entre as 10 mais, morrendo na praia justamente por pura subjetividade minha, que tenho uma preferência ainda maior pelas que virão em seguida.

Será que as suas favoritas entraram? Quantas mais do Wednesday Campanella eu consegui inserir? Será que eu lembrei da existência de cantoras de menor escala como Natsume Mito e Namie Amuro? Essas e outras questões cruciais serão respondidas a seguir...

25º) WEDNESDAY CAMPANELLA - THE LITTLE MATCH GIRL


Um dos grandes pontos positivos a respeito do Wednesday Campanella é a incrível capacidade que o trio tem de montar tracklists coesas em seus álbuns, fazendo com que todo ele seja interessante de escutar em vez de apenas enfiar as melhores canções no início e deixá-lo morrer na segunda metade. No caso, "The Little Match Girl" encerra o LP que eles lançaram em 2015 de maneira quase que épica. Eu não duvido nada que eles tenham se inspirado na nossa Axé Music para montar tal estrutura melódica nesse Tropical House classudo. Da maneira como os sintetizadores são colocados ao modo como a KOM_I canta, do break de rap até o saxofone nos momentos finais, é tudo muito acima da média e, por quase cinco minutos, prendem o ouvinte vigorosamente...


- x -

24º) GESU NO KIWAMI OTOME - ROMANCE GA ARIAMARU


Ainda mais outra canção do Gesu No Kiwami Otome a seguir a linha proposta sonoramente naquilo que eles lançaram em 2015, "Romance Ga Ariamaru" consegue ser superior ao apresentar um refrão repetitivo que gruda como chiclete na cabeça. Eu duvido que alguém, depois de umas três ou quatro ouvidas, não se vicie nisso aqui e queira buscar mais da banda instantaneamente...

- x -

23º) ONE OK ROCK - CRY OUT


Eu tenho total noção de que "Cry Out" é o One Ok Rock no automático, reciclando muito do que eles já haviam mostrado em início de carreira. Porém, pra que ligar pra isso quando temos aqui mais uma faixa legal vinda dos caras? Como já era de se esperar, é aquilo de fazer Rock com influências no que é utilizado por bandas do segmento Gospel, atribuindo assim toda uma aura apocalíptica à produção final, com corais e jogadas de bateria que tornam o pacote final um tanto místico. Pra melhorar, temos o Taka soltando vários berros em vários momentos...


- x -

22º) ULFULS - ROKKIN GOJUKATA BUGIUGIKKURIGOSHI


Eu adoraria que isso de fazer J-Pop somando Ska com Rock voltasse a ser popular na fanbase internacional como era na década passada, pois sempre sinto que todos (eu incluso) estão perdendo verdadeiros achados como essa delícia de nome gigante lançada pelo Ulfuls. Porra, que música divertida, que clipe divertido. Amo também como há toda uma influência do Funk e da Disco Music nisso tudo, fazendo dessa uma mistureba maravilhosa e totalmente palatável...


- x -

21º) CRYSTAL KAY - HARD TO SAY (MSG VERSION)


Novamente, já sei que muitos de vocês estão rolando os olhos por eu ignorar o feat. das Crystal Kay com a Namie Amuro em "Revolution" em prol de selecionar a b-side do single que nada mais é que um remix de uma faixa já lançada por ela em DOIS MIL E DOIS. Mas que culpa eu tenho se ouvi isso aqui ininterruptas vezes em 2015 em vez do que deveria ser o prato principal do release? "Hard To Say", aqui, foi totalmente reformulada, sendo um dos primeiros lampejos do que viria a ser a invasão Dancehall/Tropical House na Ásia. Agora venham todos gritar "CRYSTAL KAY" e rebolar até o chão na hora do break pós-refrão junto com o tio Lunei...


- x -

20º) NATSUME MITO - 8-BIT BOY


UAN OPE, TO OPE, EITO BITO BOY!!!1 Coitada da Natsume Mito. Quase nada na curta carreira dela se salva. Pra ser honesto, acho que de escutável para o grande público mesmo é só a recente Puzzle e essa aqui mesmo, bicho. Falando de "8-bits Boy", se não me engano, ela foi utilizada na trilha sonora daquele filme do Adam Sandler zoando gamers. Não que isso conte qualquer ponto a favor ou contra, visto a própria gravadora ter excluído o vídeo com cenas do longa do YouTube e substituído por esse apenas com ela sendo tosca aesthetic usando videogames antigos como inspiração. Se fosse lançada pela Kyary Pamyu Pamyu teria ficado bem melhor? Claro! Mas ainda assim, é uma faixa acima da média e weird o bastante para me viciar...


- x -

19º) YUMI SHIZUKUYA - ALL MY LIFE


Assim como rolou com "Dark Panda", da Hyolyn, no top 2015 de capopes, "All My Life" (originalmente em 2º lugar na lista que fiz na época), acabou caindo algumas posições pelo excesso de lançamentos na mesma vertente PBR&B-HOUSE que rolaram de lá para cá. O que não faz, necessariamente, com que ela se torne ruim. Adoro a crescente de versos que resultam num refrão falso, só para, momento depois, revelarem o verdadeiro refrão com os "all my liii-i-i-i-i-i-iiiife" gritados deliciosos. Tragicamente, o videoclipe abaixo não tem nem 30 mil views. Vai entender...


- x -

18º) SHIGGY JR. - SUMMERTIME LOVE


O Shiggy Jr. já entraria aqui nessa lista apenas pelo videoclipe maravilhoso bolado para "Summertime Love", que é bastante oitentista, colorido, cheio de referências à época e muito bem formulado e bonito de assistir. Só que, o mais legal, é que a canção por trás de tudo é ainda mais legal, inspiradíssima no Disco, mas com indícios de Funk e Pop. Deve ter sido um dos troços mais kawaiis daquele ano, mas um kawaii com pulso e bastante replay factor...


- x -

17º) FAKY - AFTERGLOW


E aqui está a melhor música do Faky. Aleatoriamente, também é o PBR&B que melhor "envelheceu" comigo (wtf falar em envelhecer sendo que isso aqui é de dois anos atrás, btw). A escolha de sintetizadores e a forma como eles se somam da backtrack é bem legal de ouvir, levando-a para cima em vez de desacelerá-la a ponto de perder seu ápice, algo que me incomoda bastante nesse estilo. E o pacote se completa com o videoclipe sendo filmado na perspectiva de uma fã stalker maluca - ou, vai ver, o quarteto que tem péssimos modos com seus admiradores. Fica ai a reflexão...


- x -

16º) E-GIRLS - HEY YOU


FAROFAAAAAA!!! Mil vezes o E-Girls lançando esses EDM que tem como única preocupação e intuito nos gerar vários momentos para bater o cabelo pra lá e pra cá que as bobagens kawaii que elas tentam emular uma falsa simpatia. A gente gosta mesmo é de mandar vários quadradinhos, voguins, se esfregar um no outro como se estivéssemos dopados em baladas futuristas, algo proporcionável por "Hey You!", uma das minhas canções favoritas do grupo...


- x -

15º) PASSE PIED – TSUKURI BAYASHI


Um hino desses. Uma das coisas que mais me atrai no Passe Pied é a maneira como o Pop deles acaba sempre descambando para influências bem mais pesadas, calcadas em psicodelismo, hard rock e demais gêneros. Isso tudo com o timbre característico da vocalista e toda a cama asiática por trás dos sintetizadores eletrônicos que parecem tirados de um arcade antigo. É isso o que rola em "Tsukuri Bayashi", uma das faixas mais intensas do grupo. Toda a aura creepy é ainda ampliada pelo vídeo, feito esse de maneira simples, mas eficaz ao ilustrar o que é colocado...


- x -

14º) BED IN - C CHOU VENUS


Eu demorei bastante para comprar a ideia das tias do Bed In em reviverem a aura deplorável dos anos 90 em sua música e estética visual, tanto que quase não dei bola para "C Chou Venus" em seu ano de lançamento. Porém, o tempo passou e cá estou eu colocando um álbum delas entre os melhores do ano passado, "Golden Pleasure" no top 10 de 2016 e essa delícia trash aqui quase na ponta final das mais legais de 2015. Tem horas que é bem bom ser velho só para ter um passe livre em curtir cores berrantes, leques toscos e faixas com um tempo exageradamente alto sem que ninguém me julgue tanto assim...


- x -

13º) WEDNESDAY CAMPANELLA - SHAKUSHAIN


A terceira faixa do Wednesday Campanella a aparecer na lista é, talvez, a mais experimental do grupo, visto um terço dela ser levada penas pela KOM_I acompanhada de alguns tambores marcando o tempo. Os demais elementos surgem apenas lá por 1:20 min, moldando-a num pancadão eletrônico apetitoso demais. Visualmente, creio que esse seja o melhor MV do trio, que explicita como um bom planejamento pode fazer com que qualquer baixo orçamento seja suficiente para uma filmagem grandiosa. É a minha terceira música favorita do grupo e a segunda melhor deles em 2015...


- x -

12º) NAMIE AMURO - GOLDEN TOUCH


Os fãs mais xiitas de j-divas irão chiar, mas eu não sou tão admirador assim da Namie Amuro não. Acompanho a cena musical jotapopeira desde a primeira metade da década passada e sempre vi mais graça em outra cantoras, muito pelos timbres vocais, pelo que se propunham esteticamente e, o mais importante, pelo repertório. Logo, não é surpresa que - e muita gente irá abandonar esse blog agora - "Golden Touch" seja a minha canção favorita dela. Isso ai é teen pra caralho, poderia ser gravado pela Katy Perry de tão genérico que é, não tem absolutamente nada de inovador... Mas eu adoro. Não sei se é pelo clipe ótimo com aquilo de colocar o dedo na tela para interagir com o vídeo (e provavelmente é, huahuahua), mas essa foi uma das minhas músicas definitivas de 2015 e continua bem forte no meu dia a dia atual...


- x -

11º) TOKYO KARAN KORON - SPICE


Trocentos animes são lançados anualmente, mas poucos realmente acontecem como "Shokugeki No Souma" aconteceu. De carona na trama shounen usando o ambiente gastronômico como plano de fundo, tivemos a ending "Spice", a melhor animesong do ano. Aaaaaaaarhg, que música bonitinha! Eu não tenho ideia do motivo, mas toda vez que a escuto, a vontade que dá é sair correndo pela rua gritando toda a letra com o máximo de força que eu conseguir no momento. Não sei se por 2015 ter sido relativamente esquecível em relação às animações, mas nadinha nesse nicho conseguiu ao menos se aproximar do amálgama de sentimentalismo com despretensão Pop que o Tokyo Karan Koron fez aqui. Como mesmo eu consegui deixar isso de fora do top 10?


- x -



E dessa leva, é só isso ai. Agora, só ficarão faltando as 10 mais do ano para que eu tenha tops de K-Pop e J-Pop entre 2014 e 2016 completinhos aqui e no blog e não um buraco vazio em 2015, finalmente aquietando o meu TOC.

Ai, quem sabe, posso começar a voltar mais no tempo e listar as melhores de 2012, 11, 10... Ou começar pelo início e fazer um top láááá dos anos 2000 e vir subindo os degraus. Preciso estudar essas possibilidades.

Por enquanto, aqui vão os spoilers da próxima parte: 2 grupos hipsters de música eletrônica, 1 banda hipster, 1 invasão coreana, 2 girlbands, 1 co-ed e 2 cantoras, uma delas com um post bem recente aqui no blog. E ai, quem se arrisca a chutar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...