terça-feira, 23 de maio de 2017

iKON está de volta com 'B-Day' e 'Bling Bling' (e não tá tão ruim não)


E ai que os caras do iKON estão de volta, mais de um ano depois de seu último release coreano, lançado no final de 2015. E o que eles tiveram fazendo nesse tempo todo? Segunda a página deles no Generasia, relançaram todo o catálogo deles no Japão, surpreendentemente vendendo bem para um ato hallyu na atualidade.

Honestamente, nunca vi muita graça neles, visto a YG não demonstrar qualquer esforço para fazer com que o grupo tenha suas próprias cores dentro da gravadora (são o BIGBANG da nova geração, foram criados para isso e ponto, é a vida, aceitem) e 90% de suas faixas serem o que de pior  e mais clichê boygroups conseguem nos proporcionar, com o plus de as pessoas comprarem tais ideias como "inovadoras", "artísticas" e etc.

No entanto, eu timidamente comecei a aceitá-los justamente em seu último double-a-side, com as ótimas "Dumb & Dumber" e "What's Wrong" - inclusive, essa última entrou no meu top 50 de melhores faixas de 2015.

Desse tempo pra cá, teriam eles melhorado, piorado ou se mantido naquele mesmo nível de "genéricos-que-as-vezes-soltam-coisas-legais-mas-as-vezes-soltam-bombas"? Bom, confiram meus dois centavos agora, começando pelo maior destaque desse comeback, B-Day...



A melhor coisa de "B-Day" é o fato de tudo isso aqui parecer não ser levado tão à sério quanto outros troços já lançados por eles. A real é que o grande problema com o iKON (e com atos idol da YG em geral) nem são as atitudes try-hard, os videoclipes ou figurinos fumados, sim as MÚSICAS.

Delimitando isso só ao repertório dos sete, a maioria das produções peca pelo exagero de elementos sônicos estridentes, desnecessários, demasiadamente datados e cafonas. Isso das faixas de Hip Hop try-hard até as mid/ballads R&B sem qualquer pulso. É aquilo de quando algo que só consegue ser trash tenta se levar a sério.

Felizmente, quando o assunto são farofas, as coisas funcionam bem melhor. Percebi isso nas já citadas "Dumb & Dumber" e "What's Wrong", com tal raciocínio retornando agora. O iKON é um grupo que é para ser levado como fonte de guilty peasures toscões, é nisso que eles são bons.

"B-Day" é EXATAMENTE isso. É um Dance que começa meio eletrônico, meio orgânico, mas que descamba num EDM ao chegar no refrão. Vários momentos nele são extremamente grudentos, com toda certeza pensados para esse fim, assim como o refrão e a coreografia nele, idealizados para servirem como uma bobagem deliciosa.

Pra melhorar, o instrumental não está tão carregado e o Bobby-que-tem-dentes-de-cavalo está parando de forçar a voz como se estivesse com catarro preso na garganta. Do que reclamar? É uma bobagem esquematizada para ser uma bobagem...



Bling Bling não está tão divertida assim em comparação, mas também não chega a ser tão ruim quanto o geral desses números Hip Hop/Urban vindos de grupos masculinos. já que, novamente, o instrumental não está tão carregado, histriônico e incômodo.

Só tá meio ridículo mesmo, pois não tem como levar esses moleques tentando ser yolo num verniz idol tão grande.

Eu provavelmente esquecerei que essa faixa existe semana que vem, mas ao menos não me incomodou diretamente e o comeback acabou descendo de forma agradável.

---

#RIPSistar #RIPSummer #WinterIsComing #CoitadaDaVespaquita

2 comentários:

  1. Melhor que o debut pelo menos, não fez mais que a obrigação deles,lembro que em 2014 o Bobby fez diss pra um monte de Idol rapper, entre eles o líder do BTS, desnecessário. iKON sempre lançou mortes genéricas horríveis, pelo menos isso aí não tá inaudível, tá legalzinho até

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo problema em lançar diss track não. lol

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...