domingo, 26 de março de 2017

TOP 40 | As melhores faixas do J-Pop em 2015 (40ª até 26ª)


Olá, gente linda. Como estão? Bom, eu estou com um tiquinho de tempo livre nesse fim de semana, mas sofrendo pelo fato de esse final de março não estar rendendo quase nenhuma pauta quente. Logo, qual a melhor opção contra essa nova regra dos charts coreanos que faz com que os lançamentos acabem acontecendo nas segundas, deixando os domingos desse blog totalmente às moscas?

Eu aproveitar o tempo livre para colocar os animes e séries em dia, sair com os amigos ou entrar em um relacionamento sério? ERRADO! A resposta mais óbvia é: resgatar alguma pauta fria que de bastante trabalho!!!!1!1

Pois bem, no finalzinho do ano passado eu resolvi retornar ao passado e dar uma editada nos tops de fim de ano que eu produzi para um outro site que eu escrevia, dando uma atualizada com novas coisas que eu escuto desses períodos e postando de maneira seriada por aqui. Sempre separando entre K-Pop e J-Pop, pois são duas chaves diferentes na minha cabeça e meu TOC despertaria se eu juntasse tudo numa lista só, comecei com os de 2014, elegendo "Red Light", do F(x), na Coreia do Sul e a merdavilhosa "Fxxk Boyz Get Money", do FEMM, na terra do Goku.

Entretanto, sobre 2015, eu tive tempo apenas de revelar as minhas favoritas dentro do capope, com "Crazy", do 4MINUTE, levando a melhor, pois a semana do natal já estava chegando e eu deveria adiantar os tops de 2016. Só que a loucura disso tudo é que, vejam só, o ranking com os jotapopes já estava escrito aqui, faltando apenas algumas edições, sendo esse engavetado por todos esses meses.

Pois bem, resolvi reviver essa matéria e, em três partes, começando por hoje, postarei quais as 40 melhores faixas japonesas de 2015.

Vocês já devem saber disso, mas é sempre bom ressaltar: o top foi montado com base na minha preferência, numa soma do que eu escutava muito na época e do que, daquela época, eu ainda escuto muito hoje. Número de vendas, acessos no YouTube ou qualquer desses dados não foram levados em conta. Além disso, também não tenho o intuito de fazer disso um panorama do que saiu de música há dois anos, logo, é possível que alguns atos apareçam mais de uma vez, enquanto outros nem lembrados sejam.

Uou, que introdução gigantesca. Se vocês não tiverem desistido no meio do caminho, confiram ai a primeira parte, que vai da quadragésima posição até a vigésima sexta...

40º) MOMOIRO CLOVER Z - YUME NO UKIYO NI SAITE MINA (ft. KISS)


Eu totalmente amo o fato de, propositalmente, não existir qualquer outra intenção além de divertir e entreter por trás do Momoiro Clover Z. Digo isso, pois levar muito a sério o que essas meninas fazer meio que mata qualquer experiência relacionada ao grupo. Por exemplo, imaginem ser um roqueirão na faixa dos 40/50 e descobrir que o Kiss ~se vendeu~ para uma colaboração tão ridícula quanto "Yume no Ukiyo ni Saite mina" se propõe a ser? Prefiro apenas aproveitá-la como mais uma música divertida vinda do quinteto com um videoclipe engraçado de assistir, pois a vida é mais legal quando levada dessa maneira...


- x -

39º) FAKY - YOU


Ooh, como me irrita o Faky não receber a devida e merecida atenção não só na cena japa, mas também entre o público jotapopeiro casual ao redor do globo. É nítido que elas tem todo o necessário para serem consideradas uma boa girlband: bons vocais, visual interessante, bom gosto na hora de bolar videoclipes e, o principal, boas músicas. Da trinca que elas soltaram ao retornarem com uma nova formação no final de 2015, "You" foi uma das mais legais, apostando na soma de sintetizadores gamers com acordes de violão agressivíssimos...


- x -

38º) MAISON BOOK GIRL - BATHROOM


Outras que acabaram não acontecendo de jeito nenhum foram as Maison Book Girl. Lembro que, à época, os comentários eram de que elas seriam "o novo Perfume", visto a estética visual e sonora um pouquinho mais bizarra e tendendo mais para algo ~artístico~ que Idol. Uma pena o sucesso não ter chegado, pois essa "Bath Room" é excelente, mesclando piano, instrumentos mais orgânicos, um fucking xilofone e uma bateria eletrônica que proporciona uma melodia contínua quase que hipnotizante. Pontos extras também para o videoclipe-elfas-da-floresta ridículo...


- x -

37º) GLIM SPANKY - HOMEROYO


Glim Spanky <3 Dessa nova safra de grupos Pop japoneses a buscar por um caminho mais roqueiro, esse aqui é um dos meus favoritos. Isso porque a grande parte de seus lançamentos, embora apresentem um peso instrumental bem forte, são munidos também um um apelo catchy muito gostoso de acompanhar. "Homeroyo" não foge à regra, com versos que prendem bastante e um refrão quase que impossível de esquecer. Somem isso à voz marcante da vocalista e ao clipe bacana e pronto, temos o pacote completo...


- x -

36º) CRAYON POP - DANCING ALL NIGHT


As decisões de carreira da galera que gerencia o Crayon Pop na Coreia do Sul e no Japão devem ser as mais questionáveis possíveis. Quer dizer, tudo bem que é normal lá na terra do Goku que atos lancem LPs como um encerramento de uma era, trazendo tudinho o que já foi apresentado anteriormente com umas duas ou três faixas inéditas servindo de rosto. Mas por que diabos não dar continuidade nisso em uma empreitada inédita se o que elas podem preparar com exclusividade em solo nipônico pode ser tão bom quanto essa "Dancing All Night" e uma outra ai que virá mais pra frente na lista? Porra, que música boa. Era isso que o Nakata tinha que estar produzindo atualmente e não aqueles EDM-Grass datados...


- x -

35º) KODA KUMI - LIKE IT


O "Walk Of My Life" foi um álbum tão bom e fez do 2015 da Koda Kumi um ano tão ótimo que meio que me bate uma tristeza ao ver como tudo foi pro saco depois disso. E eu sei que boa parte de vocês irá virar os olhos com o fato de eu ignorar "Mercedes", "Piece in the Puzzle" e outras album tracks ótimas, mas a verdade é que "Like It" foi o meu grande vício daquela era, com Kodão repetindo "laique laique laique, uuuuuuuh laique laiqueee" por quase 3 minutos enquanto rola um batidão Urban por trás. Volta a fazer música boa, Koda...


- x -

34º) AOA - OH BOY


Se eu bem posso chutar, creio que esse aqui tenha sido o momento exato onde eu comecei a curtir o AOA de verdade em vez de apenas pela piada. E se elas até tem músicas melhores lançadas antes ("Miniskirt" é uma canção bem mais rica e elegante instrumentalmente), "Oh Boy" meio que foi, até aquele momento, o ápice da fórmula AOA de nos proporcionar releases divertidos e, vejam só, musicalmente bons. No top original que eu fiz em 2015 lá para o site da Rádio J-Hero, elas apareciam em 10º lugar, porém, por os lançamentos posteriores terem sido TÃO ÓTIMOS (pensem em todo o "Runaway" e em todo o "Good Luck"), instintivamente a desci alguns degraus apenas pela comparação...


- x -

33º) AIMER - BRAVE SHINE


Falando em fórmulas, "Brave Shine" foi a grande música a seguir a "fórmula Aimer" em 2015. É aquilo de ela criar uma power ballad extremamente emotiva, arrepiante e épica, com versos que vão numa crescente até que explodam num refrão angelical que ela já havia feito muito bem em em 2014 com Broken Night e aperfeiçoou ainda mais em 2015 com Ninelie. Se ainda há em vocês algum tipo de preconceito com esse tipo de sonoridade, convido-os a dar o play do vídeo abaixo e começar a superar isso...


- x -

32º) TOFUBEATS & DREAM AMI - POSITIVE


Um beijão para os fãs do E-Girls e do Dream, pois mesmo que os admiradores do grupo tentem vender a carreira solo da Ami como um troço magnífico, a grande verdade é que a melhor faixa dela é justamente uma participação na canção de outra pessoa. "Positive" foi o grande chamariz do ótimo álbum que o produtor/DJ Tofubeats lançou em 2015, cheio de canções que misturam o Pop eletrônico com Funk. Ela é envolvente, empolgante e contém todo um apelo sing-along muito interessante. Aliais, interessante também é como uma ideia de um clipe apenas com pernas dançando pra lá e pra cá pode funcionar bem...


- x -

31º) WEDNESDAY CAMPANELLA - RA!


Já aviso de antemão que, assim como rolou no top 2016, uma porrada de músicas do Wednesday Campanella aparecerão aqui. Isso porque 2015 deve ter sido o melhor ano do trio até então, com um álbum visual espetacular, o "Zipang", recheado de música assombrosamente divertidas e videoclipes bem bolados. A primeira das muitas a dar as caras é "Ra!", a que, creio eu, deve ser a favorita de muita gente. Ooh, céus, como essa música é legal. Aquilo de a KOM_I ficar ~mandando uns raps~ enquanto rola uma base eletrônica esquizofrênica é muito forte aqui. Amo também como o instrumental vai adquirindo uma aura etérea no pré-refrão e como refrão House, mesmo sendo apenas dotado de sintetizadores e dela gritando uns troços lá, é fodido de tão requebrante. Aah, é o MV egípcio também é bem bom...


- x -

30º) GESU NO KIWAMI OTOME - OTONATIC


Já adianto também que irão rolar algumas aparições do Gesu No Kiwami Otome aqui, já que 2015 também foi o grande ano do grupo. Eu fico bobo no modo como eles conseguem fazer uma mesma fórmula sonora funcionar de maneiras diferentes várias e várias vezes. Tal molde é nada mais que misturar num andamento jazzístico elementos sonoros vindos do Rock, do folclore nipônico e da música negra americana. Isso tudo de uma maneira estruturalmente pesada, mas ainda assim soando... Fofa. É assim que "Otonatic" se parece e como outras conseguem ser ainda melhores...


- x -

29º) SUCHMOS - YMM


O Suchmos é uma banda relativamente nova em minha vida, pois só conheci o trabalho dos caras no finalzinho do ano passado. O bom disso é que, pesquisando os lançamentos anteriores deles, acabo encontrando pérolas como "YMM", um amálgama daqueles Hip Hops mais funkeados do início dos anos 90 com um apelo mais Pop muito simpático de ouvir. O refrão é pegajoso demais e todo o caminho que a track faz até chegar nele é satisfatoriamente legal de escutar...


- x -

28º) DAOKO - SHIBUYAK


Daoko <3 "ShibuyaK" é TÃO BOA. Já pararam pra pensar que isso aqui, mesmo pegando como referência o Synthpop dos anos 80, é uma farofa para ralar a chaprosca no chão? É aquilo de ser a representação do futuro vinda do passado, mas funcionando de maneira atual que pouca gente consegue fazer sem parecer pejorativamente caricato...


- x -

27º) SAKANACTION - NEW TREASURE ISLAND


Eu totalmente sou capturado pela introdução extremamente emotiva e teatral dessa faixa. E o bom é que, mesmo depois dela, "New Treasure Island" não decepciona de maneira nenhuma, não deixando nunca a energia cair. Gosto da levada agitada que o Sakanaction colocou nela, da letra viciante, da melodia, do modo como ela me prende ao se assemelhar com aberturas de anime dos anos 2000 (eu honestamente consigo imaginar o Naruto correndo loucamente nisso aqui), dos elementos tradicionais nipônicos, do videoclipe gravado num só take. Nota 10 para tudo...


- x -

26º) PERFUME - PICK ME UP


*BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM* com a faixa que muitos de vocês jurariam que estaria, no mínimo, no top 3 dessa lista, sendo descartada sem nem atingir o vigésimo lugar. Não me condenem, embora eu ame "Pick Me Up", a escute várias vezes durante a semana e provavelmente saiba balbuciar toda sua letra, confesso não ser tão fã dessa sonoridade EDM-Country a la Avicii que o Nakata resolveu associar ao Perfume, começando nesse release. É a vida. Mas fica ai como uma boa farofa para fechar essa primeira parte do post...


- x -


Por hoje, é isso ai. Alguma surpresa? Alguma faixa boa demais para ter morrido tão cedo na lista?

Spoiler da próxima parte: 7 bandas, 4 gatas solistas, 2 girlgroups e 2 faixas de um trio que já apareceu nessa parte. 1 dessas faixas foi usada como tema de um filme ocidental e outra foi ending de um anime que dá "água na boca". Algum palpite?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...