quinta-feira, 23 de março de 2017

Em 'B-Day', Lucy dá parabéns pra geral enquanto batemos cabelo numa farofa House


Esse primeiro trimestre de 2017 estão TÃO BOM pro K-Pop que eu meio que sinto como se 2016 estivesse sendo vingado. Quer dizer, já teve alguma semana nesse ano onde não saíram, pelo menos, umas três faixas realmente boas vindas lá da Coreia do Sul?

E essa maré de sorte/bom gosto tem se arrastado até para os maiores confins nugu da cena de lá, pois recentemente saíram materiais bem proveitosos de uma galera quase desconhecida pelo público geral. Materiais esses que, aleatoriamente, acabaram atraindo mais a minha atenção que o que foi solto por atos de maior alcance.

E como eu tenho dado uma certa preferência a falar do que eu mais gosto aqui em vez de dedicar tempo à releases ruins/meia bocas - e vocês tem respondido positivamente em views -, confiram o MV de B-Day e já conversamos...



Até ontem de madrugada eu não tinha a mais remota ideia de quem era essa Lucy, mas acabei descobrindo que ela se chama Park Ji Yeon e fez parte de um grupo girlcrush chamado GLAM, produzido pela BigHit, empresa do BTS, que debutou em 2012, mas acabou não chamando nenhuma atenção, culminando num disband pouco comentado em 2014 (além de uma das meninas ter sido presa por chantagear um ator, oh wow).

Flops de lado, ela agora resolveu adotar esse nome e seguir em carreira solo. E, bom, biasismos e haterismos à parte, alguém ai consegue pensar em alguma música melhor que "B-Day" lançada por alguma cantora coreana esse ano até então?

Caralho, que troço bom! Eu sei que muitos de vocês já estão de saco cheio dessa "onda House", já que sei lá quantos atos da SM apostaram nela ano passado, mas "B-Day" pega o que de melhor pode ser tirado dela e aplica sonicamente de maneira eficaz.

A maneira grave como os sintetizadores são usados é esplendida e lhe dá todo um ar "sujo" delicioso de apreciar. O modo como os demais elementos vão surgindo, fazendo com que ela siga numa crescente até o refrão, é empolgante e dá mais vontade e escutar. O break de rap da Kisum é colocado de maneira orgânica e não assusta. O refrão é MUITO grudento, com os "to me... happy birthday to me, to you, everybody" invadindo a cabeça de maneira a serem reproduzidos involuntariamente. Todo o delivery vocal dela está interessante, sem gritos, sem floreamentos desnecessários.

Não tenho nadinha o que reclamar.

E fora que há toda uma aura "drag" que é divertidamente legal de acompanhar, algo que o Wednesday Campanella faz muito bem no Japão e que a SeoHyun e a Yuri, do SNSD, também fizeram bem ano passado com a maravilhosa Secret. Honestamente, me deu vontade de escutar Sissy That Walk logo que a ouvi pela primeira vez.






Kisum com um pacote gigante de salgadinhos sou eu na vida...
Já o MV, está aquela delícia fumada que os hipsters coreanos adoram bolar, com ela sendo gostosa junto com vários clones e coelhos no mesmo cenário de Bbang Bbang, do Pocket Girls, enquanto rolam várias animações coloridas. 

No mais, fica aqui o meu obrigado pra sei lá quem tiver compartilhado isso no Twitter até que chegou na minha timeline. Mil vezes gastar o meu tempo escutando coisas assim que me contentando com o habitual que sai de artistas maiores, como se não existissem opções variadas.

---

P.S.: comentários sobre o debut do Pristin virão em breve;

P.S.2.: que sucessão da porra minha tag do ranking de girlbands, não? :v

2 comentários:

  1. AHHGG a vadia robo meu user do disqus mas tudo bem eu perdoo pelo seu house maravilhoso. Até que enfim alguma coisa pra tirar os "ana butcho nega butcho you my supa supa hero" dá minha cabeça tava me dando dor de cabeça já. E também AHHHHG LUNEI SENPAI ASSISTE DRAG RACE TO CONTANDO OS SEGUNDOS PRA CHEGA SEXTA-FEIRA, ESSA LINDA, COM A 9 TEMPORADA 💕💕

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que eu acho que nem verei dessa vez. A faculdade tá tomando muito tempo, quase não dá para parar na frente do computador para assistir os reality tudo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...