quinta-feira, 16 de março de 2017

Loona debuta uma unit antes do grupo completo com o synthpop de 'Love&Live'


Eu já falei do Loona algumas vezes aqui no blog, elogiando na maioria, pois a ideia de debutar uma girlband de 12 garotas, começando essa promoção um ano antes, apresentando cada uma das integrantes com um single solo e, de quebra, ainda soltarem mais uma música com todas as reveladas, me soou interessante e ousada num cenário onde o mais do mesmo é quase que regra.

Porém, as coisas começaram a degringolar ao final de janeiro, quando em vez de juntarem a pirralha de 14 anos que beija sapos com as três já soltas, resolveram montar duas duplas sertanejas para a mesma música e mesmo videoclipe.

Para esfriar de vez, optaram por esquecer a garota de fevereiro no churrasco, não lhe dando um release solo, jogar a YeoJin no porão e, por algum motivo aleatório, criar uma unit com as três primeiras + a ignorada do mês passado (?), pois essa foi uma escolha dos fãs (??) e "debutá-las" de verdade, mesmo antes do grupo completo ganhar um debut. (!!!)

Wow, que confusão. Vejam ai o MV de Love&Live e já comento o porquê de eu ter demorado tanto para postar sobre isso aqui...



Vamos lá, alguns comentários devem ser feitos antes de eu dizer a minha opinião.

Por incrível que pareça, mesmo com a confusão colocada nos parágrafos acima, o Loona tem mantido uma certa coerência em seus lançamentos. Não estão entendendo? Segurem a mão do tio Lunei e venham.

Para as canções solo usadas como lead single, é nítido que os produtores por trás do grupo optam por atribuir uma aura "clássica", ou retrô, tanto faz, às meninas. E isso pode ser feito através de um Pop com elementos de Jazz, ou de R&B, Doo-Wop, ou emulando uma aura de musicais grandiosos.

Se desconsiderarmos The Carol, já que é uma canção natalina, as faixas usadas com a união das meninas durante o pré-debut tem influências que ficam naquele limiar entre o final dos 90 e o início dos 2000, com My Melody/My Sunday sendo aquilo de ~acústico dançante~ e a deliciosa I'll Be There totalmente baseada no New Jack Swing.

O que nos leva à unit Loona 1/3. Uma coisa que sempre me desagradou em subunidades dentro do K-Pop é que, honestamente, a grande maioria delas é formada apenas para aproveitar a fama de alguns integrantes e lucrar em cima disso, mas sem apresentar qualquer novidade sonora para o projeto. Pensem, por exemplo, no TaeTiSeo, no EXO-CBX, no 9MUSES A, no T-ara N4, no NCT como um todo e em praticamente todos os ~encontros~ musicais dentro da YG Entertainment. Em nada se diferenciam dos grupos originais.

A exceção real que me vem à cabeça nesse momento é o Orange Caramel, que ganhou uma vida própria ao optar por uma estética humorística e sonoridade que varia entre italo-disco, trot e algumas outras cafonices que funcionam maravilhosamente e em nada se assemelham com o que o After School fazia.



Nisso, o Loona 1/3 meio que se safou, já que nada no grupo, até agora, havia ido para esse lado. "Love&Live" é um synthpop bem bolado, bem montado e com influências setentistas bem características ao gênero. Se essa for a assinatura sonora que as quatro usarão quando estiverem juntas, isso pode funcionar a longo prazo e diferencia-las de possíveis futuros "Loona 2/3" e "Loona 3/3".

Isso, é claro, se as tais outras units também tiverem as suas próprias propostas, assim como o grupo completo. Honestamente, duvido, pois e bem provável que todas essas experimentações sejam apenas um teste para entenderem a preferência do público e, ao fim, darem o que mais tiver vendido para as 12 no debut.

O MV tá maravilhoso. Filmado em Hong Kong e na Nova Zelândia, ele traz takes interessantes, uma história bem montada e toda uma ambientação que funciona bastante em tela. Podemos reclamar de falta de organização da BlockBerry, mas não de dinheiro, pois todos os videoclipes filmados estão minimamente ótimos.

ViVi, a garota chinesa nova, é bem bonita e
Aah, eu tinha ficado de falar o porquê de eu demorar para fazer esse post, né? Bom... É PORQUE EU ACHEI A MÚSICA MUITO CHATA.

Como eu disse, o clipe tá lindo, a ideia é boa, as influências estão corretas e eu comumente curto esse tipo de som, mas "Love&Live" é quase entediante aos meus ouvidos. Talvez por o refrão não ser tão pegajoso, ou por os versos serem bem qualquer coisa, ou pela comparação com outras canções bem melhores soltas recentemente nessa mesma vibe (cof cof Lovelyz cof cof), mas eu não consegui curtir isso o quanto eu esperava curtir.

Eu tentei dar um tempo para ver se a faixa crescia comigo conforme os dias fossem passando, mas não rolou. Então, ficamos assim: a música é bem feita, mas eu não gostei. Subjetividade é uma coisa de louco, né?


Até agora no meu escalão de músicas: "Let Me In" > "Beija Sapo" >> "ViViD" >>> "I'll Be There" >>>>>> resto

Já no escalão de faves: HaSeul dona da beleza > pirralha tosca que beija sapos > HeeJin-cara-de-cu > ViVi chinesa provocativa > a outra lá

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...