quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Meia dúzia de álbuns japas ótimos que saíram em janeiro e eu esqueci de comentar


Eu sei que um monte de boygroups tiveram seus respectivos comebacks nos últimos dias, porém, nenhum deles realmente me chamou atenção - de maneira positiva ou negativa - a ponto de despertar alguma vontade de escrever sobre. Logo, guardarei meus comentários entediados para aquela raspa de fim de semana.

Aproveitando esse espaço vago em pauta, resolvi juntar num post só alguns pitacos meus sobre seis álbuns nipônicos que saíram durante o mês passado, mas acabaram não dando as caras aqui nessas linhas mal traçadas.

Pra ser honesto, escrever sobre J-Pop requer um esforço maior que fazer o mesmo sobre K-Pop, já que o mercado fonográfico japa é um tanto fechado para quem está de fora, com os EPs, singles e LPs não chegando, por exemplo, ao Spotify ou ao YouTube. E ai, fica difícil comprovar o que quero dizer, dificultando o entendimento de vocês, leitores.

De qualquer forma, ilustrei cada uma das indicações com um vídeo e há uma série de sites que disponibilizam álbuns japoneses por ai. Se rolar o interesse, é só buscar...

LITTLE GLEE MONSTER - JOYFUL MONSTER


Eu curto bastante a sonoridade que o Little Glee Monster colocou como assinatura de suas canções, sempre mesclando elementos mais retrôs com efeitos eletrônicos de agora. Combina bastante com a boa extensão vocal das meninas e, numa comparação, faz com que elas ocupem em minha cabeça um lugar de "Mamamoo japonês". Tá que esse álbum é um daqueles com várias faixas já lançadas antes, mas fica ai como uma boa introdução para quem ainda não as conhecia...



- x -

SUCHMOS - THE KIDS


O Suchmos é um grupo que acabou despontando no ano passado entre aqueles hipsters que escutam J-Pop (oie) e eu fico bem satisfeito com isso, pois curto demais a mescla de Acid Jazz com Rock e Pop que eles proporcionam. Então, é claro que um álbum, agora que hypados, é uma boa pedida. As canções tem um peso instrumental bem condizente com a proposta e todo o pacote final é de um bom gosto excelente, que não cai de forma nenhuma numa zona pedante ou "elitista" demais. Se duvidam, é só dar uma olhada nos videoclipes abaixo dos singles "Stay Tune" e "A.G.I.T", ambos resumem bem a ideia que a banda quer passar...





- x -

AWESOME CITY CLUB - AWESOME CITY TRACKS 4


Não sei se esse aqui pode ser considerado um álbum ou se deve ser qualificado como EP, mas cada audição das faixas contidas no "Awesome City Tracks 4" é acompanhada de uma aura energética de empolgação e diversão sonora, com uma produção que mescla o eletrônico com o orgânico de forma bastante atrativa. Sugiro que todos fiquemos de olho nesse duo daqui pra frente. Ainda não pude ir buscar o que mais eles lançaram, mas se seguirem essa linha, já estou oficialmente pescado...



- x -

FHANA - AOZORA NO RHAPSODY


Tá, aqui eu to forçando a barra colocando um single numa lista de álbuns, mas as minhas opções tinham acabado e eu queria fechar uma lista com 6 para usar o "meia dúzia" no título. De qualquer forma, é um trabalho bem bom, trazendo aquele espírito ~tosco~ do vocal Pop japonês que todos nós amamos bastante e está em falta nos últimos tempos. A propósito, a a-side é OST daquele anime ótimo da mulher que recebe vários dragões-empregada em seu apartamento. Era para eu ter resenhado os três primeiros episódios dele há algumas semanas, mas esqueci. Fica ai a lembrança e a promessa de um reviewzão completo quando a season terminar...



- x -

PASSE PIED - &DNA


Aqui está o meu favorito da lista, o que acaba me gerando uma certa culpa, pra ser honesto. Eu conheci o Passe Pied em 2015, inclusive inclui uma faixa deles no top de fim de ano que fiz para um site que eu colaborava, mas desde então acabei esquecendo que o grupo existia. Uma pena, pois ano passado eles lançaram bastante material bom que eu poderia muito bem colocar no meu top japa de 2016. Pois é, engoli barriga.

Como nunca é tarde para se arrepender e ir atrás, confiram ai alguns dos lançamentos deles ao longo do ano passado que acabaram incluídos em seu mais recente álbum, "&DNA", que comemora o aniversário de 5 anos do conjunto. O instrumental é ridiculamente pesado, somando efeitos eletrônicos com acordes extremamente agressivos e a voz-robotizada-de-vocaloid da vocalista. Há muito de Rock Progressivo, Hard Rock e Psicodelia nos arranjos, mas tudo com um ar "japa-creepy" muito legal. É o tipo de coisa que imediatamente me vem à cabeça quando penso no que me atrai ao J-Pop...





- x -

SAYAKA SHIONOYA - MIST-IC


Pra encerrar, vale citar também o álbum Pop de menininha que a Sayaka Shionoya soltou. Não tenho muito o que falar dele além de que traz um punhado de faixas divertidinhas e descompromissadas. Eu curti.


---

Estou ciente dos lançamentos do Wonder Girls, do Six Bomb, do debut do H.U.B, do álbum do Wednesday Campanella e várias outras coisas que saíram recentemente. Comentarei tudinho nos próximos dias, pois hoje estarei fora de casa durante o resto do dia.

Também estou ciente das tretas envolvendo a ex-suplente do T-ara, mas vocês podem ler mais sobre isso nos blogs dos colegas Dougie e Dalla Corte - com uma profundidade bem maior do que eu faria, diga-se de passagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...