sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Uhm Jung Hwa volta MUITO bem com 'Watch Me Move' e 'Dreamer'


Eu acho que já falei isso aqui no blog algumas vezes, mas é sempre bom lembrar: só comecei a escutar K-Pop mesmo de 2010 pra cá. Por ser muito fã de animações japonesas e da cultura Pop nipônica como um todo, também por ter escutado várias web rádios do nicho na minha adolescência, acompanho o J-Pop há mais de uma década. Então, claro, vários e vários artistas que eu jurava serem japoneses na época, como a BoA, as meninas do KARA, o SuJu e outros, na verdade, eram coreanos. Só que, entender que existia uma cena musical na Coreia do Sul e como ela funcionava, só de I My Me Mine pra cá.

Logo, é completamente esperável que eu, até uns meses, não tivesse ideia de quem era a Uhm Jung Hwa. Dando uma pesquisada, descobri que ela é um dos maiores ícones coreanos dos anos 90, que várias cantoras e idols a tem como um parâmetro e que, mesmo após enfrentar um câncer, ficar 8 anos parada e já estar bem mais velha do que o esperado para artistas do meio musical de lá, ela retornará com o seu décimo álbum de inéditas esse ano, o The Cloud Dream of the Nine.

Os primeiros gostinhos dele já estão entre nós...



Watch Me Move deve ser uma das melhores primeiras impressões de um artista que tive nesses últimos anos. A sonoridade está alinhada com a onda Deep House que acompanhou os lançamentos dos atos da SM Entertainment alinhados aos produtores LDN Noise entre o final de 2015 e a primeira metade de 2016, acrescida ainda de uma pegada Disco muito boa, envolvente e deliciosa de escutar. O refrão é fortemente grudento e praticamente impossível de esquecer. Meu lado biased fica até meio chateado de isso não ser um comeback da Luna.

Embora seja claramente feito a partir de um baixo orçamento, o MV não peca em nada. Pelo contrário, temos ela sendo bem mais linda vestida de extraterrestre aos QUARENTA E FUCKING SETE anos que todos nós na casa dos vinte. Some isso ao fato dela tocar o foda-se para a sociedade coreana ridiculamente homofóbica e colocar várias pocs mandando muito no stiletto e PUM, já me conquistou.

E como se não fosse o suficiente, a outra a-side é tão boa quanto...



Dreamer tem um apelo menos contemporâneo, com um instrumental que mergulha ainda mais no Disco que a anterior, mas a qualidade ainda é bem alta. O destaque LGBT+ é ainda maior, com vários e vários takes com os meninos voguing no espelho.

O "The Cloud Dream of the Nine" será lançado em duas partes. A primeira, com a capa abaixo, intitulada "First Dream", saiu no dia 27 do mês passado, contando com essas duas faixas citadas + as canções "Pillow Forest" e "Oh Yeah", um feat. com o Jong Hyun, do SHINee. Já a "Second Dream" trará mais cinco tracks, uma com a participação da Lee Hyori, e ainda não tem data pra jogarem pra rolo, embora devam soltá-lo ainda nesse semestre.

Confiram a capa e a tracklist:


1. Oh Yeah (feat. Jong Hyun)
2. Dreamer
3. Watch Me Move
4. Willow Forest
5. Delusion (feat. Lee Hyori)
6. So What
7. Photographer (feat. Jung Ryu Won)
8. Ending Credit
9. She

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...