terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Com 'Rookie', Red Velvet confirma ter virado um dos grupos mais desinteressantes da atualidade


Em setembro do ano passado, as meninas do Red Velvet retornaram com a faixa Russian Roulette e mataram a dualidade que tanto chamava atenção nelas como ato. Se antes tínhamos um "lado Red" eletrônico carregado no Hip Hop dos anos 90 e Funk dos anos 70 e um "lado Velvet" orgânico, inspirado num R&B sombrio, o tal "lado Red Velver" foi não mais que um synthpop divertidinho, mas que poderia ser feito por qualquer grupo na cena que não faria a menor diferença.

Isso meio que matou minhas expectativas para o que demais elas poderiam lançar, retirando-as do meu alto escalão de girlbands coreanas (junto com F(x), EXID, AOA e outras) e lhes atribuiu a mesma importância que dou para quaisquer outros grupos femininos num geral, onde não espero muito coisa e apenas fico feliz quando saem faixas legais para acrescentar à minha playlist diária.

Só que nem uma expectativa baixa salva Rookie de ser um dos troços mais aguados que escutei nos últimos anos...



Não levem para o pessoal, bolofãs, mas aquele Red Velvet creepy de 2015, que nos abençoou com pérolas tipo "Ice Cream Cake", "Automatic", "Dumb Dumb", "Red Dress", "Huff n Puff" e todas as demais album tracks do "The Red" está morto.

"Rookie" até tem as guitarrinhas funkeadas do lado Red, mas a estrutura da faixa é fraca demais, sem quaisquer momentos memoráveis que a façam minimamente aproveitável. Escutei-a um pouco mais que dez vezes antes de escrever esse post e, sinceramente, mal consegui lembrar da melodia dos versos ao final dessas ouvidas. O refrão é bobo demais e não tem aquele apelo catchy necessário para que as repetições de palavras realmente grudem na cabeça. E isso tudo ganha ares patéticos com a interpretação vocal demasiadamente infantilizada das cinco.

Resumindo: é uma música chata que começa fraca e não engrena em momento nenhum. "One Of These Nights" e "Russian Roulette", mesmo falhando, ao menos tentavam ser algo. "Rookie" nem tentar tenta. O pior é que nem o MV fumado consegue salvar a música...





HEAUHEAUHEAUHEAUEAHUEAHEUHAUA
Uma pena. A impressão que eu tenho é que o Red Velvet se tornou só mais um grupo igual a todos os outros ao redor. Nem ser de uma das três maiores empresas de entretenimento lá da Coreia do Sul consegue salvá-lo da mesmice habitual da indústria. Parece que nem todos estão a salvo da homogeneidade.

Dito isso, o Red Velvet acaba de se juntar ao SONAMOO na minha lista negra de atos coreanos femininos que eu não terei mais curiosidade de acompanhar o que virá e nem comentarei mais aqui no blog, a menos que lancem algo que REALMENTE valha a pena - basicamente, recebendo o mesmo tratamento que boygroups num geral. Nesse limbo ai já estão: April, Apink, Rania, Hello Venus e Gugudan. Caminhando a passos largos para entrar nessa lista está o BLACKPINK. CLC conseguiu se salvar transformando-se no 4MINUTE da nova geração.

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...