sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Com 'Chase Me', Dreamcatcher debuta do jeito que o diabo gosta


Eu nunca liguei muito para o MINX, só lembrando mesmo delas pela farofa engraçada que foi o debut Why Did You Come To My Home?, chamando uma certa atenção na fanbase capopeira aqui do Brasil por ser o tipo de música que o 2NE1 lançaria. Depois disso, não me recordo de mais nada que tenha vindo do grupo.

E ai que a empresa delas resolveu adicionar mais duas garotas no line up, mudar o nome do grupo para Dreamcatcher, adotar o aegyo e redebutá-las (essa palavra existe?) hoje.

Vejam ai o MV de Chase Me:



Interessante a HappyFace ter apelado para o aegyo infantilóide de maneira a trazer alguma atenção para a girlband, mas, ainda assim, adicionar alguns elementos diferenciados no pacote final. De certa forma, isso acabou destacando o número em meio a tantos outros.

Quer dizer, vamos lá... Pensem no Lovelyz interpretando nos MVs de forma extremamente caricata e exagerada, soando como uma zoação para cima do estilo, isso tudo com uma sonoridade synthpop que parece tirada de arcades antigos sempre presente em suas faixas. Pensem também no GFriend adicionando mais peso orgânico em seus instrumentais e no Oh My Girl sendo etéreo. Os três se diferenciam e tem suas próprias cores num mar de cópias do Apink, certo?

No caso do Dreamcatcher, temos em "Chase Me" o uso de elementos e signos sonoros que nos remetem ao Rock e ao nicho gótico, com guitarras bem reverberadas, uma bateria bastante pesada, pianos e toda uma dramaticidade muito bem encaixada. É algo que é bem mais comum de ser lançado no Japão, por exemplo.





Sangue de Jesus tem poder...
No clipe, há uma brincadeira com os maneirismos do cinema de terror sobrenatural. Tá tudo lá: o cara investigando no hotel, fantasmas, filmadoras VHS não mostrando nada, a fotografia mais escura e em tons mais fechados, sacrifícios e etc.

No mais, é um bom debut, com uma sonoridade que muito me agrada e que respondeu bem todas as expectativas criadas em cima dele. E pra ser honesto, depois de ouvir "Chase Me" e I Wait, do DAY6, eu não iria me opor se a modinha roqueira chegasse na Coreia do Sul não. Diferente do PBR&B e do Tropical House/Dancehall, essa vibe orgânica se mostra muito mais extensa e permissível a ser explorada que as citadas anteriormente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...