quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

TOP 40 | As melhores faixas do J-Pop em 2016 (40ª até 26ª)


2016 já está mais pra lá do que pra cá. E então, como é de praxe, todos os veículos midiáticos possíveis estão fazendo suas retrospectivas e soltando sei lá quantas listas de melhores do ano. Como a segmentação desse blog é uma completa bagunça, com editorias que vão de desenhos animados e bobagens de infância até música Pop oriental, é claro que eu precisaria me alinhar com o clima de finalização e, óbvio, soltar uma lista de melhores do ano para cada um desses assuntos que finjo que domino tão bem.

A primeira delas a começar a dar as caras é a de melhores faixas do J-Pop. Esse será um top 40, dividido em três partes, com as duas primeiras reveladas ao longo dessa semana e a última, contendo o top 10, na semana que vem.

Eu sei que esse é o tipo de coisa que deveria ser implícita, mas não custa nada sempre reforçar. Esse ranking está baseado única e exclusivamente na minha opinião e no meu gosto musical. É bem provável que muita coisa melhor tenha saído na cena musical japa, com uma riqueza lírica maior, ou que várias outras tenham vendido e feito muito mais sucesso que as minhas escolhidas, mas isso aqui não é para ser um panorama de tudo o que saiu por lá - até porque, é humanamente impossível alguém conseguir consumir TUDO o que sai de música no Japão. O que está listado aqui é o que me tocou nos últimos doze meses, o que me divertiu e, de alguma maneira, marcou meu dia a dia.

A propósito, eu falei bastante sobre 2016 ter sido musicalmente fraco, mas eu com certeza conseguiria fazer um top bem maior. Se for incluir o tanto de album tracks que curti, faria com o dobro, até com cem. Porém, quis destacar apenas as melhores dentre as melhores. As nota dez. As cerejas do bolo. Os maiores e mais brilhantes destaques.

Enfim, sem mais delongas, confiram ai a primeira parte, que vai da quadragésima faixa até a vigésima sexta...

40) YOUNG JUVENILE YOUTH - YOUTH


Musicalmente, "Youth" vai pelo mesmo caminho dos releases passados do Young Juvenile Youth, seguindo uma linha mais minimalista que, conforme vão passando os minutos, ganha variações e diferentes elementos sônicos. É bastante alternativo e pode acabar soando desagradável no início, mas tem uma aura Pop por trás de tudo que a cada ouvida vai aumentando e tornando o resultado final bem palatável.  E a experiência se torna ainda mais intensa quando acompanhada em vídeo, com a sinestesia da backtrack mais chapada retratada em vídeo com ela usando substância suspeitas com criaturas de formas esquisita, tipo uma peruca azul gigante...

- x -

39) ANGERME - ONE BY ONE, ONE AFTER ONE


Os produtores do Hello! Project não capricharam tanto assim esse ano, sendo o mais fraco vindo da empresa em tempos. Porém, quando acertaram, tivemos coisas realmente boas e divertidas de ouvir, como essa "One By One, One After One", do Angerme, uma farofão para fritar nas pistas de dança recheado de sintetizadores bastante pesados e com uma melodia bem grudenta. O refrão todo corrido é bem característico da empresa, assim como toda a dramaticidade exagerada da performance vocal colocada pelas meninas. Curti bastante. To aqui torcendo para que venha mais disso do grupo em 2017...

- x -

38) DEAN FUJIOKA - HISTORY MAKER


É claro que eu ter achado "Yuri!!!! On Ice" um dos animes mais legais desse ano influenciou muito na escolha dessa faixa aqui para o top, até porque, "History Maker" foi uma das poucas aberturas que eu não pulei enquanto assistia a animação. O legal é que ela transmite toda a grandiosidade e classicismo do desenho através de seus instrumental opereta, mas que tornasse totalmente Pop ao aparecerem sintetizadores eletrônicos explosivos no refrão...

- x -

37) E-GIRLS - DANCE WITH ME NOW!


"Dance With Me Now!" saiu lá no primeiro dia do ano e sobreviveu até agora como uma das melhores coisas lançadas pelo E-Girls e pela LDH em 2015 como um todo. Eu sei que muita gente curte o lado ~Pop~ do grupo e todo o kawaii açucarado que ele se propõe, porém, pra mim, nada supera essa vertente ~cool~ do grupo, como EDMs falando sobre trepar e videoclipes em baladas futuristas com a Shuuka (hahaha) e as outras voguing como se não tivesse amanhã...

- x -

36) FEMM - POW!


Mais um top de melhores do ano, mais uma oportunidade de enfiar todas as músicas possíveis do FEMM em uma lista. Começando por "PoW!", essa bobagem maravilhosa que mistura Twisty/Pop 50's com o Dance twerkeiro habitual do grupo. Adoro aqui a maneira como a faixa vai se construindo, com versos que vão crescendo dando aquela vontade de requebrar o popozão e, quando o refrão surge, explode num Pop totalmente diferente. O clipe também é maravilhoso, com aquilo de a história parecer ser contada de dentro de um gibi...

- x -

35) UTADA HIKARU - ORE NO KANOJO


Outro álbum japa a se destacar em 2016 foi o "Fantôme", retorno triunfal da Utada Hikaru para a cena musical. Das sei lá quantas faixas lindíssimas presentes nele, uma das que mais curti e escuto foi "Ore No Kanojo", que traz acordes de baixo reverberados como pano de fundo para a bela voz da Utada cantando no ponto de vista de um homem sobre a mulher amada. O minimalismo some em seguida, quando surge um piano mais jazzístico e diversos outros elementos, fazendo com que a música exploda no final, quando o japonês é substituído por francês, deixando toda a proposta final num nível de dramaticidade maravilhoso...

- x -

34) GIVE ME A BREAK STOP NOW


"Give Me A Break Stop Now" foi, provavelmente, o primeiro contato que todos nós tivemos com o trio REOL. Eu, sinceramente, nem a tinha achado nada demais há uns meses, mas a faixa foi se entranhando pouco a pouco na minha cabeça, revelando-se um dos troços mais grudentos vindos do Japão nesse ano. Mesmo sendo a fórmula básica de uma farofa eletrônica, não há nada nela que esteja fora do lugar. Os versos são fortes, o pré-refrão é intenso, o refrão repetindo o título várias vezes enquanto tocam os sintetizadores-para-bater-cabelo é certeiro. E claro, o apoio visual com o videoclipe creepy pra caralho, emulando uma versão masoquista/trevosa da Kyary Pamyu Pamyu, ajudou muito nisso...

- x -

33) AYUMI HAMASAKI - MAD WORLD


Nossa, mas a Ayu flopou bonito com o "Made In Japan" mesmo, né? Teve aquilo de ela liberar ele antes para audição na plataforma da Avex, ai depois lançou ele bonitinho e tals, mas a delícia não vendeu nadinha. E, aleatoriamente, essa é a primeira vez que acho o flop dela injusto, já que esse é o melhor álbum dela desde "Rock'n'Roll Circus", de 2010. Não que tivesse muito com o que concorrer, já que ela só lançou bosta nos últimos anos, mas enfim. O bom disso é que tivemos bons números de Pop/Rock nele como o feito aqui em "Mad World", que é emotiva e tem o peso instrumental correto para esse tipo de release...

- x -

32) WEDNESDAY CAMPANELLA - MATSUO BASHO


O Wednesday Campanella se tornou mesmo mainstream e, em parceria com a Toyota, lançou esse CF, cuja canção é um House bem viajado e trabalhado, mas que não deixa de soar Pop em comparação com o que há de mais obscuro na música eletrônica japa. Além disso, há elementos de trap e dubstep, que casam bem com a mistura de rimas rápidas e vocal agudo da KOM_I. O videoclipe é aquela delícia fumada de sempre que eles nos proporcionam. Pelo que eu entendi, ela faz parte de uma sociedade científica secreta que a permite transcender a realidade através de uma conexão com os veículos da Toyota. Ou isso, ou drogas...

- x -

31) FEMM - NEON TWILIGHT


"Duas músicas do FEMM com menos de 10 casas de diferença no top? Esse Lunei é um puxa saco mesmo, viu!" pensaram vocês quando viram "Neon Twilight" já dando as caras aqui. Porém, o que eu posso fazer se eu adoro essas manequins e todos esses Dance creepies que elas lançam? Bicho, o videoclipe disso é só elas vestidas de capetinhas de plástico se movendo numa luz de neon e, ainda assim, é um dos troços mais épicos desse ano...

- x -

30) KNIFE OF DAY - BOKU NI TOTTE


Os OVAs que saíram de "Digimon Adventure Tri" esse ano devem ter sido responsáveis por alguns dos momentos mais entediantes que tive nos últimos meses. A única coisa boa nisso tudo mesmo foi termos o "debut" da banda do Matt no ~mundo real~, com algumas canções bem boas. A melhor foi "Boku Ni Totte", sendo ela um ótimo exemplar do "Pop/Rock japa para garotos", comumente usado mesmo em trilhas de animes, que está tão em falta quando o quesito é qualidade na cena nipônica. O solo de gaita na bridge é lindo demais e toda a parte instrumental é bem agradável de escutar...

- x -

29) REOL - CHIRUCHIRU


O grande acerto do álbum de debut da já citada unit REOL foi tornar algumas de suas faixas uma espécie de remix de trilhas sonoras de videogames 8-bits, fazendo dessa mescla algo definitivamente grudento. No caso de "ChiruChiru", vejo-a como o tipo de música que toca no meio de um show e o público se esgoela insanamente para seguir todas as estrofes do início ao fim, tão divertido que é o pacote total...

- x -

28) MORNING MUSUME - CONFRONT WITH BARE NAKEDNESS


ESSA MERDA MA-RA-VI-LHO-SA! Eu já tinha ficado empolgado com essa música quando os fãs soltaram a versão para as rádios no YouTube, pois carregava tudo o que de melhor o Morning Musume é capaz de nos proporcionar sonoramente: um EDM com o tempo altíssimo, carregado de sintetizadores que parecem tirados de algum jogo do Atari, uma letra absurdamente dramática e uma interpretação vocal tão teatral quanto. Entretanto, as coisas adquiriram um novo gás e se elevaram prum nível entorpecedor quando a escutei inteira com o acompanhamento visual do videoclipe. É claro que não é nada muito elaborado, afinal, estamos falando do Hello! Project, mas isso do caleidoscópio e das pinturas com neon é eficaz para o instrumental proposto. Pra mim, a melhor faixa delas desde "An Adolescent Boy Is Crying" - e também a segunda melhor do H!P esse ano...

- x -

27) WEDNESDAY CAMPANELLA - CHUPACABRA


Mais um CF do Wednesday Campanella, dessa vez para a RedBull, "Chupacabra" também foi usada como lead single do quarto álbum do grupo, o "UMA". Caraca, isso aqui é um House realmente pesado, com os elementos eletrônicos se somando em micro melodias extremamente agradáveis, embora densas, até que aconteça um clímax e, BOOOM, chegue o break techno salvador de vidas depois de 2 minutos. O videoclipe é a cereja do bolo, com outra viagem maluca da cabeça deles, dessa vez usando a lenda do chupacabra como pano de fundo...

- x -

26) JY - RADIO


Quem colocou essa bosta aqui?

- x -


E por hoje é só isso ai mesmo, meus queridos. O que acharam dessa primeira parte? Chocados comigo queimando uma posição para que "Radio" aparecesse? 

Amanhã, trarei a primeira parte do top 40 de melhores faixas do K-Pop nesse ano. Alguém se arrisca a chutar o que pode pintar? Deixem seus palpites ai nos comentários... ;)

Obs: Por algum motivo aleatório e que não tenho a menor ideia de como resolver, o Blogger mudou a fonte da postagem quase toda. Espero que não tenha incomodado tanto na hora de ler. =/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...