sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Jessica, 'Wonderland' e falta de timing


A frequente falta de timing de alguns na indústria Pop acaba sendo uma das grandes vilãs quando o assunto é deixar suas marcas enquanto ativos. Isso tudo pelo simples motivo de, por uma grande quantidade de pessoas já terem lançado coisas parecidas antes, a comparação ser inevitável. E vejam bem, falo isso em relação a todos os produtos de entretenimento existentes: cinema, TV, livros, quadrinhos, jogos e, é claro, música.

A mais recente vítima dessa vilã é a Jessica (aquela que foi chutada do Girls' Generation, lembram?), que, aleatoriamente, voltou com um novo mini-álbum solo e um MV para o lead single Wonderland. Vejam ai e entendam do que estou falando...


Sim, meus caros, temos aqui mais um número de Tropical House/Dancehall lançado no K-Pop em 2016.

"Wonderland" é uma música bem gostosinha e extremamente superior à insossa Fly, que ela usou como debut em maio. Os versos iniciais são legais, o modo como os sintetizadores começam a se intensificar antes do refrão e estouram quando ele chega, fazendo um pano de fundo bem agradável para os "this is my kind of wonderlaaand" cantados de maneira adocicada pela Jessica é maravilhoso.




Tá, as cenas cafonas com ela gigante na montanha são ridículas e poderiam não existir, mas, num geral, o clipe também está agradável.

O grande problema disso tudo foi... O timing. Bicho, estamos no último mês de 2016 e trocentos outros atos coreanos já lançaram canções nessa mesma vibe esse ano. Listando só pelo que me veio à cabeça enquanto escrevia esse post, teve o BTS, o Jay Park, o BLACKPINK, o Berry Good, o SHINee, a TaeYeon, a HyunA e a lista tende a crescer se eu sentar para pesquisar mais a fundo.

E sabe o pior? Todos esses ai lançaram seus respetivos números dancehall depois do debut da Jessica. Logo, se "Wonderland" fosse utilizada para a estréia solo dela, a ice princess seria colocada como a vanguardista dessa moda no K-Pop esse ano e, numa comparação com os posteriores, teria o seu lugar de destaque como a primeira a investir nisso. Lançando agora, em dezembro, acaba sendo só mais uma em meio a tantos outros com faixas parecidas.

É uma música divertida? Sim. Se eu gostei? Sim. Porém, é genérica e fraca quando associada com outras. Faltou timing, faltou ousadia de apostar em algo quando nenhum outro apostou. Pena.

Mas Lunei, o que diabos mesmo é esse tal de Tropical House/Dancehall que você tanta fala?

Sou péssimo para explicar essas coisas didaticamente, mas, vamos lá, Tropical House é uma variação do Deep House, que é aquele tipo de Dance Eletrônico mais, digamos, "viajado", que vai além dos acordes e compassos mais simples e varia mais no andamento e na maneiro como as partes da backtrack são construídas. No caso do Tropical House, os DJs e produtores costumam inserir elementos ~tropicais~ vindos, principalmente, do Dancehall, que é um estilo alternativo jamaicano originado do reggae.

Uou, que explicação de bosta. Para me redimir, deixarei abaixo alguns exemplos de faixas que mesclam esses estilos no Pop que estouraram no ano passado, fazendo com que ele fosse reutilizado agora pela galera o K-Pop.

A propósito, não se enganem querendo achar que há originalidade nessa gente abaixo ou mesmo no material produzido pelos coreanos. Na verdade, isso tudo é uma colagem de estilos retirados de suas cenas naturais que meio que tiram todo o holofote que deveria ir para a galera desses países periféricos e joga para ídolos Pop padronizados. É algo relacionado com apropriação cultural e white wash que eu prefiro não me aprofundar tanto aqui...




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...