sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Comentando os dois primeiros episódios de 'Pokémon Sun & Moon'


Eu sei que falei aqui nesse post onde eu comentava os episódios da temporada passada de Pokémon, onde o Ash chegava na final da Liga Kalos e perdia, que eu ia assistir o arco final "XYZ", pois esses capítulos de fim de região costumam ser mais elaborados que os habituais da série animada. Só que eu totalmente esqueci de fazer isso, então não tenho a mais remota ideia do que aconteceu com aquele grupo, ou com o Zygarde e etc.

O que quer dizer que, de agosto pra cá, fiquei um bom tempo sem consumir absolutamente nada de Pokémon, visto eu também ter esquecido de ver aqueles micro episódios que estão soltando no YouTube pincelando cada geração explorada nos games da Nintendo.

Deixando minha falta de comprometimento com essa franquia que tanto amo de lado, devo dizer que já assisti os dois primeiros episódios do tão aguardado Pokémon Sun & Moon. Confiram ai os meus pitacos sobre essa nova - e já tão previamente odiada por parte do público - aventura de Ash e Pikachu...

HEAUEAHUHEAUEAHUEHAUEAHUAEHUEAHEUAHEAUHEAUHEAUEHAU
Eu nem vou fazer mistério não. Como eu já havia previsto lá quando saiu o trailer, para o que se propõe, esse anime novo está muito bacana. A ideia de "infantilizarem" de vez o traço de design dos personagens totalmente colou com isso de acentuarem um pouco mais a veia humorística do desenho.

O planeta inteiro sabe (mesmo que alguns ignorem) que a animação de Pokémon é nada mais que um meio utilizado para promoção dos produtos da marca, voltada para as crianças. Nesse sentido, gostei de tudo. Achei as cenas divertidas, os novos personagens interessantes, a locação é legal e a mitologia ali, caso bem explorada, pode render bastante coisa.

E disseram que eu estava na pior. Se isso é estar na pior...
Por não ter visto o final do anime passado, achei que ficaria perdido na motivação de Ash estar ali em Alola. Felizmente dei sorte e, já no início, isso é mostrado e contextualizado. E de uma maneira bem engraçada. O Mr. Mime faxineiro da mãe do Ash ganha a viagem para Acapulco num sorteio no meio da rua. Aproveitando a viagem dos vizinhos para não ter que pagar o poké-sedex, o professor Carvalho manda para seu primo através do Ash um ovo ~raro~. Nisso, o moleque deixa seus pokémons lá mesmo pelo laboratório e, pronto, está livre para uma nova aventura.

Exploração pokémon...
Alola é um local paradisíaco, solar, alegre, contagiante. Suas ilhas são cercadas de mistérios, com um ar folclórico bem legal e explorável. O tal primo do professor Carvalho, na verdade, comanda uma escola onde a criançada local estuda para entender melhor sobre as criaturinhas e todo aquele universo. É claro que quando Ash e sua mãe vão encontrá-lo algo acontece no meio do caminho e o pivete acaba se metendo em várias confusões. O que parece não ter preocupado sua progenitora, que ignorou qualquer possibilidade negativa e deixou seu filho perdido encontrar o colégio sozinho.

Eu to é me perguntando quando os professores aqui do Brasil vão começar a usar cosplays que nem o primo do Carvalho...
É claro também que o Ash faz vários amiguinhos com esteriótipos normais dentro de um anime do tipo, com o rival ~poderoso~ que se acha melhor que todos, o gordinho nerd , a moleca, a pedante e a kawaii-tímida-misteriosa.

Gordinho nerd chamando na chincha... ❤
E, obviamente, é evidente que o Ash encontraria e teria uma conexão especial com o pokémon lendário local. Afinal, esse moleque tem uma conexão especial com TODOS os pokémons lendários de todas as regiões. Não seria diferente aqui, certo?

Todo dia o rei do gado girando com uma música diferente...
No mais, está tudinho redondo, tudo ok, tudo gostoso de assistir. Isso de zoarem a obceção do Ash (e do público) com as batalhas colocando, justamente, ele para enfrentar várias provas do Domingo Legal foi hilário.

Pelo final do segundo episódio, meio que já fica evidente que as coisas não se limitarão ao que ocorre na escolinha e as demais ilhas do arquipélago serão exploradas, assim como todas as suas diferentes formas de competição. Ou seja, rolará bastante aventura, matando as reclamações do fãs mais chatos que estavam preocupados.

Eu adorei. É entretenimento bem feito e sem pretensões de ser mais do que isso.



Só não entendi mesmo esse trailer todo sombrio e conceitual feio para o público norte americano. Odeio essa mania ocidental de se proclamar "adultão" e querer adaptar tudo para essa fórmula. Vão dormir. ZzZzZzZzZ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...