domingo, 16 de outubro de 2016

ALBUM REVIEW | Luna - Free Somebody (2016)


Olá, todos vocês. Como estão? Nesse momento, estou comendo bolo de sorvete. Infelizmente, não é do sabor red velvet, uma pena, pois queria o combo completo para postar essa piadinha no Twitter. Nhé.

Eu ainda não estava comentando sobre música Pop asiática aqui no blog quando a Luna debutou solo e, bom, não quero deixar de falar do que foi um dos melhores acontecimentos da cena sul coreana desse ano por aqui. Somem isso ao fato de eu ter escrito esse post nas minhas férias de agosto e, desde então, ele estar na geladeira e eu não ter muito tempo para produzir qualquer coisa hoje, já que amanhã começam minhas provas na faculdade. Então, uou, hora de uma pauta fria.

Enfim, confiram ai os meus dois centavos sobre o EP Free Somebody, lançado no dia 31 de maio de 2016...


Escolherem a Luna para um solo, na verdade, foi uma baita duma surpresa para mim. A frequente falta de afinco da SM Entertainment para com as meninas do F(x) sempre foi bem visível, delimitando as gatas apenas a lançamentos anuais, sem muita divulgação ou tantas oportunidades para que as meninas brilhassem através de participações por ai. Mesmo com o debut da Amber ano passado, imaginei que os engravatados da big one jamais lhe dessem outra chance ou mesmo permitiram que as demais integrantes do grupo explorassem outras pegadas no meio musical.

Felizmente, eu estava errado e tanto a Amber teve vários comebacks como a Luna pode ver sua estrela se acender fora das asas de suas companheiras. E embora eu tivesse uma preferência maior pela Krystal e pela Victoria, a escolha da única full korean do F(x) é plenamente aceitável, já que ela sempre teve a melhor voz e uma imagem simpática e "pura" ao público médio.

Felizmente², mesmo com todos esses atributos, em vez de atribuírem à figura dela uma personalidade bela, recatada e do lar, resolveram libertá-la numa persona confiante, sexy e com uma sonoridade carregada no Electro-Pop...


Free Somebody, talvez, deva ser a melhor canção de debut não só para um ato da SM Entertainment, mas talvez a melhor música de estréia de qualquer solista da história do K-Pop - competindo ombro a ombro com Ain't Nobody, da HA:TFELT. Isso pra não falar que ela está brigando no gel até agora na minha cabeça com Windy Day e 24 Hours e mais umas cinco de quando escrevi esse post pra cá como melhor faixa coreana de 2016, porque isso está realmente genial.

A delícia é um Electro-Pop absurdamente dançante, com indícios de Future House, que não deixa o clima cair em momento nenhum. Do teclado ao início aos sintetizadores que lembram cornetas que a encerram, a faixa percorre um caminho espetacular. Os versos iniciais cantados com um pouquinho de ar na voz, os "I know, I know, I know, I know" grudentos, o refrão... PORRA, ESSE REFRÃO, PUTA QUE PARIU ESSE REFRÃO, CARALHO. É só a gostosa gritando que quer libertar alguém, seguido de sintetizadores, mas é tão delicioso que... Sério, é inexplicável. "Free Somebody" é tudo o que é esperado de uma boa música Pop e ainda vai além.

Tudo fica ainda melhor com o videoclipe genial. Eu to chocado com a SM realmente abrindo a carteira para mesclar cenas de estúdio com uma animação psicodélica apenas para dar sentido à metáfora de libertação de corpo e mente...


Breathe acaba ocupando um lugar inusitado na tracklist, mas que não diminui seu brilho em nada. É o tipo de balada que artistas costumam escolher para apresentações em Euro Visions da vida. Ou seja, é emocionante, o refrão serve para arrepiar e o instrumental é devidamente rico e bem trabalhado para fugir do comum. É muito bom que ela seja montada dessa maneira eletrônica e não com um instrumental Pop/R&B açucarado, pois dá certa forma ao mini-álbum, fazendo-o contar uma história coerente através das canções.

As coisas voltam a acelerar na futurista Keep On Doin', que é o tipo de coisa cujo instrumental estaria em casa no "Body Language", da Kylie Minogue (entreguei a idade?). A diferença é que a letra não fala de sexo e sim passa uma mensagem positiva sobre seguir em frente. Eu adorei.


I Wish é mais uma ballad a fugir da maneira comum de produção desse tipo de música, já que os efeitos dissonantes acabam tornando toda a experiência estranhamente divertida. É claramente inspirada na Soul Music americana, mas feita de maneira totalmente eletrônica. É estranha, é bizarra, mas é boa. Muito boa mesmo.

Galaxy, além de ser a mais uptempo do EP, deve também ser a mais internacionalmente aceitável, sendo o tipo de coisa que um DJ europeu qualquer daria para alguma diva britânica e alcançaria o topo da Billboard de UK na primeira semana de vendas.

A título de curiosidade, diz no Wikipedia que a letra, que fala sobre o sentimento de perder a virgindade, foi escrita pelo mesmo diretor musical de filmes como "Oldboy", "Sympathy for Lady Vengeance" e "I'm a Cyborg, But That's OK", além de ter sido produzida por uma outra galera envolvida com o cinema coreano e um DJ que também está produzindo material para o debut internacional da Anitta. Sei lá se é tudo verdade ou apenas coincidência de nomes, mas deixaria tudo ainda mais interessante do que já é...

Infelizmente, a faixa mais comum é a que fecha os trabalhos. My Medicine não chega a ser ruim, mas acaba destoando do clima eletrônico do mini, sendo "normal" demais em comparação a todo o resto.

Resultado de imagem para luna free somebody gif

No fim, o gosto final que fica é de que o "Free Somebody" foi, inesperadamente, um debut acima da média. Um lead single espetacular com um MV muito bem inspirado e fora do padrão, isso tudo somado a um EP cujo a maioria das canções segue uma mesma proposta sonora.

Eu sei que da época do lançamento para cá, já tivemos muitos outros artistas de dentro e fora da Coréia do Sul apostando nas diferentes desambiguações do House e que, assim como o PBR&B, o gênero acabou ficando saturado. Entretanto, a Luna acabou marcando um lugar especial em meio a essa avalanche, muito por sua qualidade. A título de comparação, é parecido com o que o F(x) fez ano passado com "4 Walls". Vários outros vieram, quase nenhum conseguiu se equiparar. Uma pena não ter sido um LP completinho, ou a minha nota seria maior.

7,5

---

Devo demorar para comentar o comeback do I.O.I com o JYP, pois essa semana será MUITO corrida de tempo. Bjokas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...