quarta-feira, 21 de setembro de 2016

'Rich', o maravilhoso primeiro álbum do Bed In, já está entre nós (e legalmente)


Continuando o método que adotei para falar de J-Pop aqui no blog, comentando os álbuns, singles e videoclipes apenas quando os mesmos fossem lançados, trago dessa vez o primeiro LP da dupla Bed In. Com o título Rich, o trabalho foi lançado no final do mês passado lá no Japão e já está nas mais diversas plataformas de streaming que utilizamos em nosso dia a dia.

Cliquem ai no "continuar lendo" para acompanharem meus pitacos sobre o CD e também sobre o grupo...


Para quem ainda não está ligado, essas duas tias suadas já estão na estrada há alguns anos e faziam parte da gravadora Space Shower, um selo que costuma revelar bastante gente legal lá na Japão. Elas chamaram um pouco de atenção por lá ano passado com o single "C Chou Venus" e, esse ano, assinaram com a JPU Records, a mesma companhia por trás de grupos mainstream como Asian Kung-fu Generation, Scandal e The Gazette, lançando agora o seu primeiro álbum completo, o "Rich".

Para quem olha algum videoclipe do grupo, a reação imediata é a de acreditar que, na verdade, tudo não passa de algum tipo de humor escrachado ou paródia bizarra do que era famoso entre os anos 80 e 90 no Japão. Eu mesmo tive essa impressão, mas há muito mais em todo o conceito trazido pela dupla.


O "Rich" foi produzido pelas meninas de forma que soasse exatamente como as canções Pop desse período do Japão, servindo de bandeja todo a loucura e "bagunça" característica da época. Há sintetizadores a rodo, solos malucos de guitarra, reverbs inimagináveis, empostações na voz e todo um pieguismo cafona que nos faz imaginar vários tiozinhos japas mamados de saquê berrando em karaokês.

Além disso, há todo o fator ~nostalgia otaku~ empregado aqui, já que tudo remete às OSTs usadas em animes e tokusatsus dos anos 80 e 90, que marcavam presença na grade da Band e da Manchete há algumas décadas. Pensem em coisas do tipo Shooting Star, Vajura On!, Shining SoulMoonlight Densetsu e no hit da Eliana para promover Pokémon aqui no Brasil. É bem isso ai.


Todas as faixas do álbum são incríveis, viscerais, bem tocadas e bem interpretadas. Em especial, gosto bastante das previamente reveladas "C Chou Venus" e "Gold", da dançante "Rosa", do modo como a bateria se destaca em "Summer Dream", da explosiva "Sexy Hero" e do excesso de açúcar em "V.H.S" e "Mayonaka no Distance". Mas, repito, todas as demais canções são deliciosas e destacáveis. Caso tenham a curiosidade, confiram ai no player do Spotify...


No mais, sugiro que vocês confiram a resenha que o cara do Asian Mixtape fez para o LP semana passada, que está muito boa e resume bem em palavras esse espírito trash-com-qualidade que a dupla conseguiu capturar.

Junto com o da MCpero, "Rich" é, até agora, um dos melhores álbuns de música Pop japonesa que escutei esse ano. Bem melhor que o de atos indubitavelmente mais famosos, como os mal aproveitados "Cosmic Explorer", do Perfume, e "Made in Japan", da Ayumi Hamasaki, por exemplo. Vamos ver se a Utada Hikaru consegue superá-lo.

E quando a girl band coreana favorita de vocês entregaria uma capa tão sensacional quanto essa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...