terça-feira, 16 de agosto de 2016

MOVIE REVIEW | Justice League vs. Teen Titans


Olá, maravilhosas pessoas que adorariam fazer parte de uma equipe de adolescentes com super poderes, morando numa torre em formado de T e, após missões perigosíssimas e pouco valorizadas pela população mundial, aliviar o stress com várias caixas de pizza. Como estão?

Continuando com a leva de comentários sobre os longas animados que assisti enquanto estive fora, vamos para um dos mais aguardados, porém, menos comentados pelos fãs de HQs nas internetes: Justice League vs. Teen Titans...


Como já disse aqui na minha resenha sobre Batman: Bad Blood, gosto muito do fato de a DC Comics e a Warner aproveitarem o fato de não terem mais espaço na TV para lançarem longas animados diretamente com uma pegada um pouco mais adulta para DVD/Blu-ray/Streaming. É uma maneira razoável de continuar com a produção de desenhos animados de heróis dos quadrinhos que, embora não em massa, consegue atingir uma boa camada daqueles que querem esse tipo de mídia. Além, é claro, de achar tudo muito superior aos horrorosos filmes em live-action lançados no cinema.

O que nos traz ao mais recente solto dessa leva, Justice League vs. Teen Titans.


É até engraçado e impressionante notar que os Jovens Titãs são muito famosos aqui no Brasil, muito por conta da excelente série animada da Cartoon Network, que estourou na época onde as "gato-nets" eram bem comuns por aqui. As demais adaptações que vieram após, como a injustiçada Justiça Jovem e Teen Titans Go! chamaram atenção em seus respectivos nichos. Então, era óbvio o que qualquer coisa lançada do time adolescente atrairia olhares aqui. E quem já assistiu os demais filmes sabe que isso seria quase inevitável, visto os rumos que a história estava tomando.


Aqui, após Damian, novo Robin e filho problemático do Batman, causar uma série de dores de cabeça em seus responsáveis por ser um porra louca incontrolável, Dick Grayson, o Asa Noturna, o leva para uma antiga equipe da qual ele já fez parte.. os Jovens Titãs. (!!!) O grupo atual é liderado por uma muito mais séria - e quase sonolenta - Estelar, contando ainda com a presença da dona da porra toda Ravena, do Mutano e do Besouro Azul.

Inicialmente, o Robin-das-trevas-gótico-suave não consegue se adequar ao grupo, mas, com a chegada do demônio Trigun, que controla os membros da Liga da Justiça, o rapazinho precisa se entender com o novo grupo de amigos para enfrentar os heróis mais poderosos da Terra - agora, sob o domínio do mais perigoso e rancoroso capeta do universo. Além disso, eles tem a ajuda do - todos os fanboys enlouquecendo agora, no caso, eu - Ciborgue (!!), que nunca me convenceu como um membro da Liga, além de ter sido o único não afetado pelos encantos do monstro.


O filme mostra, além da interação dos adolescentes heróis, da forma como eles são inferiorizados em relação à Liga e do Ciborgue em seu devido lugar, uma representação bem mais "humanizada" da trama por trás da Ravena. Mostrar o Trigun sendo a entidade que, na Terra, acreditam ser o satã, mostrar a seita de adoração autodestrutiva que a mãe dela participou e a justificativa galáctica para tudo isso, com planetas conectados, deixou tudo mais bizarramente crível e aprofundado, quase de maneira assustadora, que as demais maneiras feitas antes.

Além disso, temos a boa interação entre os heróis adultos e os teen, abrindo possibilidades infinitas para o futuro, com mais filmes juntos e, também, dos Titãs separados. Talvez um só com o Mutano? Outro só com o Besouro Azul? Do jeito que foi, não há amarras - criativas, pelo menos, já que, financeiramente, é improvável que gastem com personagens menores.


Enfim, o longa como um todo é agradável. O clima mais adulto das produção anteriores prevaleceu sob os momentos mais "vamos todos sair e interagir num parque" desnecessários, os combates foram inteligentes e bem bolados, o uso do terror e da magia foi adequado, não há muito o que reclamar.

No final, o gosto na boca é de quero mais. Embora tenha ficado abaixo do esperado para o que eu esperava dum confronto de heróis e esse não tenha sido o melhor filme da DC que eu assisti esse ano, Justice League vs. Teen Titans não é ruim de forma alguma.

Imaginem o quão icônico seria se tivessem colocado essa música em algum momento do filme?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...