segunda-feira, 1 de agosto de 2016

ALBUM REVIEW | HyunA - A'wesome (2016)


Acreditem ou não, eu tinha esquecido que a HyunA teria um comeback já agora. Acho que esses últimos dias corridos e a minha natural falta de atenção para datas contribuiu para isso. Ou eu achava que a Cube daria um tempo para a poeira do disband do 4MINUTE baixar, sei lá.

Bom, engano meu, pois eles já deram mais um mini-álbum para a princesinha do sexy concept, com um canal novinho apenas para ela no YouTube e toda a pompa que uma produção do tipo exigiria. Eu até poderia fazer um post apenas sobre o MV do lead single, mas darei uma aprofundada nisso, visto quase todas as album tracks serem bem superiores e, enfim, eu ser biased o bastante para elaborar algo maior para ela. Aqui vão os meus dois centavos para o A'wesome...




O K-Pop, em si, é um movimento que presa muito pela soma de áudio e imagem. Talvez por ter estourado mundialmente na geração YouTube, é muito fácil para a galera que escuta as faixas coreanas totalmente ignorarem aquilo que é lançado sem um apoio visual. Com isso, é bem baixo o número daqueles que realmente escutam todas as faixas de um EP ou de um LP. Eu não estou nesse meio, então, sei que muitos artistas/idols tendem a trazer um material muito bom além do divulgado com MVs e Planetas Xuxas da vida.

É assim com o Wonder Girls, com o F(x), com o Red Velvet e, pasmem, com a HyunA. Com quatro mini-álbuns lançados de seu debut solo até o ano passado, é facílimo destacar canções que acabaram não divulgadas, mas que são verdadeiras pérolas no catálogo de solistas gostosas coreanas que acompanhamos aqui no Brasil. E então, com "A'wesome",  seu mais recente trabalho, isso se repete - e com o plus de que a maioria das músicas são até melhores que o lead single.


U&ME❤ abre o EP em grande estilo, colocando a HyunA alinhada com a tendência Tropical House/Dancehall internacional que impera nas rádios desde o estouro de "Lean On", do Major Lazer. A grande sacada aqui foi não entupirem os vocais dela com vocoder/autotune, fazendo-os soar de maneira mais suave e orgânica em contrapartida aos sintetizadores requebrantes ao fundo.

Uma pena a Cube não ter usado-a como faixa de trabalho. Entretanto, talvez tenha sido uma decisão sábia, já que as comparações com os lançamentos dos atos da SM (principalmente com a TaeYeon em "Why?") viriam. E se diferenciar do que todos estão lançando no momento, mesmo significando se repetir o já feito em outros anos, deve ter sido mesmo a motivação para a escolha disso aqui como title...


How's This? traz a HyunA com seguindo o a métrica de praticamente todas as colaborações dela com o Seo Jaewoo trabalhadas como single: aquela mistura de Dance com Hip Hop descompromissada, com o acréscimo de ícones que vão alternando o andamento da música, com Trap, Dubstep, palmas, sax, sonoridades árabes etc.

O MV é uma maravilha, com ela sendo gostosa num clube noturno, tweerkando bastante, tomando uns bons drinks, se esfregando em todos, com gente de várias etnias, raças, cores de pele, sexos e sexualidades, mostrando que as pessoas na Coréia do Sul podem ser gente como a gente e se divertir a noite e não aquela romantização estupida, hipócrita e pedófila que é o aegyo.

Entretanto, para ser sincero, gostei mais de todos os outros singles dela que deste. Não sei se tem um motivo em especial, é subjetivo. O que não o faz ruim, muito pelo contrário.

O cara no canto esquerdo sou eu na vida, curtindo sozinho com as mãos na cabeça...

Do It! começa como um Hip Hop/Pop gostosinho e vai evoluindo em velocidade até estourar num Dance Drum'n'bass bem teen no refrão. Após ele, ela volta a perder velocidade, dando espaço para as rimas bem colocadas, sendo talvez o melhor flow dela como idol/rapper até aqui. É a minha favorita do mini e imagino o quão legal ficaria um MV dirigido pelo Digi Pedi ao estilo "M.I.L.F", da Fergie.

As coisas começam a desacelerar, mas só um pouquinho, em Morning Glory. É um Pop com influências de Jazz bem minimalista, tendo como fio condutor o piano, cujas notas entoadas vão alternando com alguns sintetizadores e efeitos de disco comuns no Hip Hop dos anos 90. O rap do Qim Isle até acabou casando com o pacote total, não sendo tão descartável quanto esses feats costumam ser.

Flirt é só outro número rap com o instrumental Trap basicão e adereços mediterrâneos, embora não seja de se jogar fora. Parece algo requentado da CL. A melhor parte está no vocal sassy, quase debochado, colocado pela HyunA.

O EP termina num dueto com o Hanhae, do Phantom, em Wolf. Foi a única que gostei menos que o single, na verdade, já que é um PBR&B pouco inspirado e que pouco traz em contribuição para as dezenas de faixas nesse mesmo estilo lançadas esse ano.


Eu não tenho ideia de como ficará a popularidade da HyunA após a separação do 4MINUTE. Ela sempre chamou mais atenção individualmente que com as colegas, mas isso não significa muita coisa, pra ser sincero, visto a implicância do coreano médio com mulheres empoderadas e assumidamente sensuais.

O A'wesome não é um divisor de águas sonoro na carreira dela, já que se assemelha bastante a seus outros releases. Contudo, se manter equivalente, no caso da discografia da HyunA, não pode ser considerado ruim, já que tudo solto por ela é bem produzido, coerente e, dentro das limitações do gênero, criativamente competente. É um mini-álbum de seis faixas onde todas são, no mínimo, boas. Quando a sua favorita?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...