quinta-feira, 7 de julho de 2016

As 6 maiores reclamações de fãs de K-Pop no primeiro semestre de 2016


Olá, pessoas que gostariam de ter se mudado para a Coréia do Sul quando crianças apenas para não passarem em audições das Big 3 e acabarem contratadas de agências que nunca conseguem manter um line-up de girl group entre um comeback e outro. Como estão?

Antes de tudo, preciso explicar algo para vocês. Não escrevo mais para a Rádio J-Hero. Sei que boa parte do meu público aqui do blog veio de lá, ou também acompanhava a coluna que eu mantinha no site nos últimos quatro anos. Passei um tempo muito legal colocando meus textos ali, tive boas experiências, mas acabou. Ainda participo ajudando meus amigos da redação em outros aspectos, mas vocês não verão mais minhas resenhas e comentários sobre a cena Pop asiática por lá.

O que nem quer dizer muita coisa, já que, a partir de hoje, passarei a dar os meus dois centavos sobre capope e jotapope AQUI MESMO!!!11!!onze


Eu bem que poderia aproveitar o fato de estarmos bem na metade do ano para listar quais os melhores lançamentos desse primeiro semestre, como sei que os senpais do Why Dougie? e do Delírios da Madrugada farão em breve. Porém, resolvi inovar, resolvi dar uma de IU e chocar todo mundo, listando quais foram as 6 maiores reclamações dos fãs de K-Pop nesses seis primeiros meses.

Curiosos? Então cliquem abaixo para continuar lendo, pois essa introdução já está grande demais...


RECLAMANDO SOBRE A INVASÃO PBR&B 



2015 foi o ano do PBR&B nos charts americanos e europeus. Muito disso se deve ao pré-preparo do Frank Ocean com seu álbum Channel Orange anos atrás, com a adoção do estilo pela Beyoncé em seu LP autointitulado, à nomes de menor alcance mundial, mas que alimentam uma cena segmentada, como a BANKS, a Willow Smith e a SZA, mas que serve de fonte para artistas high profile estourarem, como o The Weeknd. Tanto que, esse ano, a Rihanna e o ZAYN (ex-One Direction) lançaram CDs todinhos nessa pegada.

É claro que, com o estilo se popularizando dessa maneira, isso chegaria na cena Pop sul coreana. Ano passado, a Hyolyn (Sistar) conseguiu uma das melhores faixas do ano assim, contando com a ajuda do Paloalto e do Zico (Block B), lançando a deliciosa Dark Panda. Nesse ano, vários e vários outros atos de K-Pop seguiram o bonde e tivemos canções da Hyomin (T-ara), do N'UEST, do Brave Girls, do Ladie's Code, do NCT U, do GOT7 e mais um monte de gente.

O PBR&B mistura o R&B moderno com House, sendo característico pela quebra de ritmos. Se isso, inicialmente, foi considerado inovador no K-Pop, agora, tem sido muito criticado por fãs, que desacreditam numa pegada mais experimental na sonoridade de seus idols. Além de acreditarem que o Pop coreano está se ocidentalizando demais, como se, em sua raiz, não fosse essa a ideia por trás de tudo. A diferença é que, antes, as empresas adaptavam para seus atos sonoridades que estouravam nos EUA entre o fim dos anos 90 e o início dos 2000, com Dance, EDM e Pop/R&B açucarado.

Particularmente, não ligo muito para isso. Acho até que, quando bem executado, temos boas faixas, algo mais difícil de ocorrer na reclamação seguinte...

RECLAMANDO DO AEGYO CONCEPT



Grupos idol asiáticos infantilizados, cantando letras bobinhas sob instrumentais extremamente adocicados, usando roupas de boneca e simulando uma expressão facial confusa para atrair malucos sempre existiram e sempre existirão. O grande porém disso tudo é que, de uns anos pra cá, com a popularidade inexplicável do Apink, várias outras gravadoras resolveram investir nesse conceito.

Nos últimos meses, tivemos comebacks do GFriend, do Lovelyz, do April, do Oh My Girl, do DIA, do Berry Good e de trocentas outras nugus nessa vibe, E a tendência parece aumentar ainda mais quando vemos debuts assustadores como o do Gugudan e do PLEDIS Girlz, além de girl bands que não tinham nada a ver com isso migrando para o estilo apenas por medo de passar despercebidas, caso do SONAMOO.

As reclamações aqui, no caso, tem sido frequentes pelo medo de isso virar regra para brilhar nas Gaons da vida e, por conta do excesso, surgirem composições no automático e fraquíssimas, caso dessa "Tinker Bell", do April, que coloquei ai em cima.

Não gosto muito do fato de infantilizarem a imagem das idols assim, acho bizarro. O bom é que, no caso do Lovelyz, do Oh My Girls e do GFriend, isso não compromete a qualidade das músicas apresentadas...

RECLAMANDO DOS ARTISTAS MANTENDO A SONORIDADE



Eu nunca entendi essa necessidade que capopeiros tem de esperar que, a cada comeback, seus artistas favoritos apresentem um novo estilo musical completamente diferente de antes. Nos últimos meses vi reclamações por a Lee Hi ter mantido o estilo retrô dos releases anteriores nesse novo álbum, do MAMAMOO ter mantido o R&B/Jazz de sempre do lead single do LP delas - mesmo que quase todas as outras faixas seguissem por caminhos variados -, o mesmo pro AKMU e até para os contratados da SM Entertainment, que estão apostando numa assinatura que passeia pelo Deep House, DanceHall e Tropical House.

E isso até que seria coerente, caso não houvesse a reclamação paradoxa a seguir...

RECLAMANDO DOS ARTISTAS MUDANDO A SONORIDADE



Mas hein? O AOA sempre foi uma dos grupos mais zoados da internet, rendendo um monte de memes pelos videoclipes em que as meninas ficam interpretando profissões aleatórias, por trabalharem frequentemente com o produtor Brave Brothers (Miniskirt, Like a Cat, Short Hair, Heart Attack...) e pela Jimin gritar HEY com a voz de pato dela há cada 5 segundos. Então, quando a FNC decide amadurecer a imagem das gatas e contratar um produtor internacional numa canção mais enxuta, o público cai em cima justamente pela falta de caricaturas no produto final.

O mesmo caso aconteceu recentemente com outro grupo de gostosas a atingir o grande público...


O EXID também sempre foi zoado aleatoriamente pelos maravilhosos MVs um pouco mais picantes e "apelativos" que o geral, além de seguirem uma linha de divisão semelhante em seus singles trabalhados. Tenho certeza absoluta que vocês ai já devem ter visto alguém afirmando que "Up&Down", "Ah Yeah" e "Hot Pink" são quase idênticas. E se não tiverem visto, aposto que vocês estão entre os que falaram, certo?

E então, 2016, as meninas mudam de gravadora e retornam com uma música de trabalho um tiquinho mais diferente que as anteriores. O que acontece? Os fãs caem matando, pois preferiam como era antes.

Assim fica difícil...

RECLAMANDO DA DISTRIBUIÇÃO DE LINHAS NAS CANÇÕES



Um outro caso que certamente encheu as timelines daqueles que fazem parte de grupos de fãs de K-Pop no Facebook e seguem páginas nesse estilo foi a tal "distribuição injusta de linhas" na música nova do Sistar. Muita gente atacando a Sabrina Sato Hyolyn por ela ter a maioria dos versos, mais tempo de tela no MV e etc.

A grande questão, na verdade, é: como as pessoas só perceberam isso agora? Quer dizer, peguem um desses vídeos tipo esse que colei acima, onde mostram a divisão de cada membro num grupo na faixa, de qualquer época do K-Pop e notem que em 90% dos casos, a maioria dos versos ficará com aquele que tem mais fama na Coréia do Sul. Isso é a indústria cultural, galera, é feito para lucrar. Se numa banda tem um ou dois que tem um apelo maior ao público - e mais chances de lucrar com publicidade -, é óbvio que ele aparecerá mais...

RECLAMANDO DE QUEM RECLAMA



O K-Pop virou febre mais ou menos em 2010 e ainda tem gente que acha que as pessoas não podem não gostar dos grupos favoritos delas ou criticá-los negativamente? Eita...


E foi isso ai por enquanto, galera, essas foram as reclamações mais frequentes que vi nesse maravilhoso nicho capopeiro nos últimos seis meses.

A propósito, minha "fonte" para isso foram os grupos dos quais faço parte no Facebook, os comentários dos posts de blogs que acompanho e também dos MVs no YouTube, além de alguns canais gringos que eu uso para saber de novidades do gênero.

Gostaram? Odiaram? Acham que outras reclamações foram mais representativas do nicho como um todo mundialmente? Contem pra mim.

Coloquei na barra lá em cima a barra "Música", onde marcarei sempre os posts onde comento K-Pop, J-Pop, animesongs e, numa proporção bem menor, o que sair de legal na China, Taiwan, Tailândia, Índia etc. Se estiverem aqui no blog apenas para acompanhar isso e não meus devaneios sobre desenhos animados, é só clicar lá... ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...