domingo, 13 de março de 2016

'Digimon Adventure Tri: Ketsui' é arrastado e bobão, mas o final vale a pena


E ai que, após a excelente e cataclísmica primeira parte lançada no ano passado, minhas expectativas para o comeback de Digimon com seu segundo OVA estava nas alturas. Infelizmente, quase nenhuma delas foi alcançada e, nessa últimas duas horas, presenciei um anime bastante arrastado e que, caso fosse mais enxuto, até poderia rolar de boa com o intrigante final que bolaram.

Não se estressem, fãs dos digiescolhidos, explicarei. Porém, antes de tudo, sugiro que assistam o filme em quatro partes que já está disponível oficialmente no Crunchyroll, já que rolarão spoilers a granel nos próximos parágrafos. Ou, caso prefiram, vejam o vídeo do rapaz ai de baixo resumindo tudo o que rolou...


A grande sacada da primeira leva de Digimon Adventure Tri no ano passado foi o roteiro. Inicialmente, foi uma loucura assistir o reencontro e a interação dos personagens antigos naquele novo cenário, dando uma carga dramática que funcionou expressivamente na maneira como o ápice foi alcançado na batalha final.

É aquilo: Isso é um OVA que, no Japão, é distribuído como filme nas salas de cinema. Logo é totalmente coerente que exista um desenvolvimento ao longo dos episódios, fazendo com que os mesmos não funcionem de maneira separada. E isso permaneceu nessa segunda parte. O problema é que, com exceção do final, todo o resto é um poço de tédio sonolento e pouco inspirado.

Basicamente, temos Mimi , Joe e Mei tendo suas personalidades "desenvolvidas" para que seus digimons tenham um papel de mais destaque a seguir.


Mei começa a se integrar com os demais personagens, mostrando-se o esteriótipo da gatinha tímida que irá se tornar cada vez mais sassy ao conviver com a garota popular e confiante. No caso, a Regina George seria a Mimi, ainda mais afiada em suas tosqueiras. A mais épica de todas foi invadir o vestiário masculino e começar a cantar. Quando suas favoritas fariam algo assim?

Infelizmente, esse é o único momento de todo o nauseante segmento no spa de banhos termais. Sério, precisavam usar um episódio inteiro para isso? Poderia ter sido uma cena de 1 minuto com aqueles takes congelados de melhores momentos e a relevância seria a mesma.

Voltando pra Mimi, seu papel aqui - além de ser a amiga gostosa/fada madrinha que mostra como a vida pode ser boa se não levarmos problemas para casa - é o de bad bitche em estado reflexivo. Ao ser confrontada diversas vezes, Mimi começa a perceber que as coisas não serão sempre da maneira que ela quer e que, de fato, deverá deixar de ser arrogante/egoísta/insiram-seus-adjetivos-para-patricinhas-aqui para que, enfim, amadureça. Eles usam um episódio inteiro pra isso e mais outro para ela demonstrar que não aprendeu porra nenhuma e irá confrontar todas as recalcadas usando uma roupa sexy de líder de torcida. Melhor personagem de todas... 


Aah, e tem o Joe sendo o esteriótipo do nerd japonês, sofrendo pressão dos pais por não ter a maior nota de todos os tempos mesmo usando todo o seu tempo disponível para estudar ferozmente. Como ele tá passando por tudo isso, não sabe o que quer ser na vida e prefere não perder tempo salvando o mundo, Gomamon fica puto e foge de casa. Ai, ele precisa rever seus conceitos e, por fim, voltar a ser um digiescolhido.

Quanto aos outros personagens, tem um mimimi aqui e ali entre Matt e Tai, o TK só fala mesmo para dar em cima da Mei, a Kari ganhou uma cena dando lição de moral no Joe só para não passar despercebida e a Sora... Tá lá, tá viva, respirando. Porém, se for para escolher uma planta, prefiro a Palmon.

o coitado do Tai servindo apenas para fan-service...
Tem alguns momentos de relevância aqui e ali, como o Leomon enfrentando o Orgemon naquela cidade onde os digimons nascem, o fato de o digimundo estar meio cagado, uns cameos do Hackmon nas sombras e a luta da Togemon com o Orgemon, gerando uma reação negativa da imprensa e da população. Porém, as coisas só esquentam MESMO no quarto episódio, onde a história começa a andar.


A loucura começa com o bombástico retorno do Imperador Digimon durante a festinha da escola, que resolve arrastar a Meicoomon para o inferno pruma zona de batalha entre o mundo real e o digital, usando ninguém menos que o fucking Imperialdramon para combater o Leomon, a Palmon e o Gomamon, que correram pro buraco para salvar a nova amiguinha.

Obviamente, todos levam uma surra, JÁ QUE É A PORRA DO IMPERIALDRAMON. Então, Joe, que corrido após uma DR com o Gomamon, volta e o digievolui para a forma extrema. Mimi faz o mesmo com Palmon. Afinal, os perrengues dos três episódios anteriores tinham que servir para alguma coisa, né?


O Imperialdramon é derrotado, o Imperador devolve a Meicoomon e todos são levados de volta pra casa pelo Leomon. Todos adoramos finais felizes... :'D


Aah, a Meicoomon vira o capeta e ASSASSINA o Leomon, voltando pro buraco e indo rumo ao digimundo. Ao que parece, ela foi infectada pelo vírus ao ter contato com o Kaiser. Todos ficam chocados, inclusive eu, e trocentas perguntas novas são colocadas na roda após o Leomon se tornar o novo Kururin.

Vamos lá, se a figura do Imperador Digimon está de volta e, aparentemente, novamente com o Ken Ichijouji sendo controlado como vilão e, ainda tendo a posse do Veemon para criar o Imperialdramon, isso quer dizer que os digiescolhidos 2.0 realmente se foderam naquela cena do OVA no ano passado, inclusive o Davis, estando todos sob a domínio de uma força maligna. 

Então, apenas uma pergunta: Por que diabos NINGUÉM, inclusive TK e Kari, teve a maldita ideia de dar um telefonema pros caras quando toda essa maluquice de portais começou? Quer dizer, os digivaices deles não tem o poder de abrir e fechar entradas pro digimundo? Será que eles já estavam no digimundo quando tudo começou?


Qual é a dessa mulher? Por que, do nada, ela ficou tão misteriosamente sinistra e riu na hora da morte do Leomon? Temos uma falsiane no grupo? WTF ninguém nos digiescolhidos contesta nada que ela e sua equipe dizem?


E a principal de todas as questões: Onde eu compro uma camisa tosca igual a dele? Também quero seguir o esteriótipo do hacker-nerd-dos-computadores-vestindo-miami-vice-japanese-version.

Enfim... Digimon Adventure Tri: Ketsui é um OVA arrastadíssimo, mas que vale a pena pelo final. Os três primeiros episódios poderiam ser resumidos em um, coisas mais relevantes poderiam ter acontecido, ou mesmo melhores formas de desenvolver os personagens já citados poderiam ter sido encontradas. 

Vamos torcer para que a próxima parte, que deve sair em setembro, seja mais empolgante e bem montada que essa. No mais, o gosto que ficou na boca foi de decepção. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...