terça-feira, 29 de março de 2016

ANIME REVIEW | Luck & Logic


E ai que eu fui no cinema e, em vez de ser profissional e assistir a provável delícia Zootopia, resolvi bizolhar o toscovilhoso Batman VÊ Superman, que não é tão maravilhoso quanto a versão animada, mas passa longe de ser a afronta cinematográfica que muitos dos ~sites especializados~ estão defendendo ser. E como só terei tempo de voltar lá na semana que vem, pois ser adulto é uma merda, resolvi adiantar umas coisas aqui no blog.

O que poucas pessoas sabem é que, ultimamente, estou mais otaku do que nunca e, nesse ano, já assisti mais animes que em todo 2015, literalmente. Alguns das temporadas passadas, outros de uma lista que eu separei há uns meses, com o que eu imaginei que poderia sair de bom nessa estação. E como a partir dessa semana a maioria desses chegará ao fim, pretendo trazer alguns reviews espertos, com o que teve de melhor e pior em cada um desses que vi. Se tudo correr bem, devo fazer isso durante todo o ano.

Claro que não cobrirão TUDO o que já saiu e vai sair, pois, mesmo que os episódios tenham no máximo 25 minutos, não dá para assistir toda essa merda. Além do que, tem umas bombas horríveis que eu não passei nem do primeiro episódio. Logo...

Mas, chega de enrolação. Vamos abrir a temporada de resenhas nipônicas com a maior enganação desse ano: Luck & Logic...


A "enganação", no caso, não está no anime em si. Sim, na forma como ele foi divulgado em massa nos sites e blogs gringos e nacionais que uso como fonte para as notícias daqui. Vendido como "o novo anime de card games da Bandai" apenas por ter seu enredo inspirado no TCG de mesmo nome e servir de vitrine para ele, Luck & Logic quase passa longe disso.

Se Yu-Gi-Oh! é o maior expoente do "estilo" nas nossas cabeças, Digimon Tamers funcione como um intermediário, onde cards, de fato, interferem nas batalhas e Sakura Cards Captor tenha nas cartas apenas uma motivação para seguir e não as use de maneira tão estratégica contra outros que também as detenham, L&L se distancia ainda mais nisso.

Exitem cards? Sim. Eles são usados num jogo? Não! Mas não é como se isso fosse de todo mal.


No anime, temos um mundo (Septpia) onde seres humanos convivem lado a lado com deuses. Isso é consequência de uma guerra ocorrida no mundo onde esses deuses habitavam (Tetra Heaven), deixando buracos entre as dimensões. O problema é que, bom, alguns dos deuses querem ser adorados pelos humanos e se colocam em uma posição superior.

Além disso, conexões podem ser feitas entre os humanos e os deuses. Elas podem ocorrer por uma criatura possuir o corpo duma pessoa, usando-a como canal para seus poderes, virando seres monstruosos, ou por meio de um contrato de ambas as partes. O problema é que são poucos os humanos que podem ser contratados e se fundir com deuses, sendo eles chamados de logicalistas.

Obviamente, uma porrada de deuses ao redor do globo começam a possuir pessoas contra suas vontades, gerando caos e medo. Então, uma organização global chamada ALCA, que recruta e treina jovens logicalistas a fim de usá-los contra aqueles seres divinos que pretendem dominar o planeta, tendo a ajuda de algumas poderosas deusas daquele universo, insatisfeitas sobre como a situação se desenrolou.


As coisas começam a andar quando o ex-combatente logicalista Yoshichika Tsurugi é recrutado por essa força policial. Todas as habilidades dos indivíduos de ambas as dimensões são divididas em Logic Cards (opa!), e Yoshichika havia perdido o seu cartão contendo a habilidade de fusão. Porém, ele é recuperado pela deusa Athena, que se torna sua contratante.

Então, Yoshichika se vê no meio de uma guerra na qual ele não se imaginava mais como protagonista. Liderando uma equipe só com garotas, a cada episódio o vemos mergulhar mais e mais nos perigos dessa profissão, além de todos os dramas pessoais das personagens.

O que era para ser um desenho de luta de cartas, na verdade, se mostrou um bom, coerente e um pouquinho mais maduro shoujo magical girls. Temos várias gatinhas de personalidades - e cores de cabelo - diferentes. A mãezona, a depressiva, a energética, a contida, a eu-sei-mais-que-todo-mundo, a gostosa que quer comer todos, a nerd, a madura-de-verdade, a criança louca demoníaca e até a contraparte masculina, que serve de rival.

E o par romântico ingênuo, claro...
O bom é que a delicia toda tem uma fotografia ES-PE-TA-CU-LAR, com a contraposição dos fundos escuros enfrentando as fantasias cintilantes dos personagens. E o roteiro não deixa a desejar. Claro que não é a reinvenção da roda, limitando-se aos clichês mais basicões dos Shonens/Shoujos: episódios iniciais com missões diferentes, um arco final onde a Terra está em perigo, onde o maior de todos os inimigos revela seus planos de proporções globais.

É quase nítido quem ali vi desandar e se tornar vilão no final, como será a batalha no último episódio, como será o golpe definitivo e etc., mas não chega a ofender, principalmente por o roteiro tirar muito sarro disso através da irmã do Yoshichika, que vive pedindo para que ele "seja o estereótipo de herói, que consegue resolver tudo no final e sobreviver".

Lúcifer ridículo viciando as 9nhas com sua penetração na alma...
Ouso ainda dizer que Luck & Logic é... Feminista. Sim. Embora as garotas sejam caricaturas do que sempre tem nesses gêneros, em momento nenhum elas se mostram submissas aos superiores (em patente) homens. São meninas que vão para o campo de batalha e chutam o traseiro de aberrações sobrenaturais sem pestanejar ou gritar por socorro. A título de curiosidade, todas elas tem papéis de frente no combate, restando o escudo para o Yoshichika. Embora líder, ele é o apoio.

Aquilo de ser um jogo onde as pessoas precisam decidir entre a sorte e lógica está mais para o bom e velho sentimento do herói, que vai de frente a tudo e todos, apenas com a coragem.


No final, o saldo é positivo. Digamos que é um anime basicão, que passaria de boa numa TV Globinho da vida, mas que aparentaria ser bem melhor do que é por conta da fotografia escolhida. Não vai mudar a vida de ninguém, mas, caso vocês estejam querendo gastar algumas horas apenas para diversão (tipo BvS), podem assistir sem medo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...