segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

MOVIE REVIEW | Apenas Um Show - O Filme


E ai que, com isso de estar chegando o final do final do ano, resolvi me unir aos inúmeros sites que vão fazendo posts relembrando o que houve de melhor e pior ao longo dos últimos 300 e poucos dias.

Eu poderia só postar uma lista sem graça com os meus sei lá quantos filmes de animação, mas resolvi me aprofundar um pouco mais nisso. Como eu já queria há tempos dedicar um espaço aqui no blog para reviews de longa-metragens, começarei agora mesmo. Então, de hoje até o final do mês, irei lançar algumas matérias com o que eu vim assistindo durante o ano.

Infelizmente, terei que deixar de fora produções que já estrearam na gringa e ainda não aqui, como The Peanuts Movie, Ajin e O Bom Dinossauro, além de outras que não tive a oportunidade de assistir quando saíram nas salas daqui e não consegui encontrar como assistir de outras maneiras, como Shaun: o Carneiro.

Enfim, vamos começar pela produção mais improvável a entrar na lista de pré-indicados ao Oscar do ano que vem: Apenas Um Show - O Filme.


Antes de tudo, vi muita gente nesses tempos questionando o fato de ele estar na lista de pré-indicados ao Oscar, sendo que é um telefilme e a academia premia apenas produções cinematográficas que tenham passado, de fato, por salas de cinema durante algum período de tempo. Na verdade, o longa estreou sim em uma rede de cinemas americana durante algumas semanas, depois, foi para exibição online, lançamento em DVD para só então estrear na Cartoon Network.

E nem sei o porquê de eu estar falando isso, visto que ele nunca entrará na lista principal. Logo, vamos aos comentários...


Minhas expectativas para um filme de Apenas Um Show foram as mesmas que tenho para com a série em geral: medianas, porém satisfatórias. A grande verdade é que, com todos esses anos de exibição, as aventuras de Mordecai e Rigby acabaram se tornando coadjuvantes de segundo escalão dentro da grade da emissora. Sempre estiveram superiores a, por exemplo, Gumball e Clarêncio, mas nunca atingem patamares de excelência como Hora da Aventura, Over the Garden Wall e Steven Universe fizeram em diferentes períodos. Então, o que eles poderiam entregar em um longa que fizesse o título se elevar?

Bom, na verdade, não teve nada de muito inovador. Porém, isso não quer dizer que tenha sido ruim, já que Apenas Um Show é naturalmente maravilhoso.

A aventura começa num futuro hiper tecnológico e espacial (todos tirando uma casquinha de Star Wars, né?), com versões maios velhas dos personagens lutando contra um exército que ameaça destruir a linha espaço-temporal da Terra através de uma arma que abre buracos para viagem no tempo construída, sem querer, pela dupla. E, pasmem, o Mordecai está do lado deles. Dai, já vemos como se seguirá a trama.


Mordecai revela que está do lado sombrio da força ruim por conta de uma mentira contada por Rigby, que pretende voltar no tempo para impedir que a arma seja projetada. Só que dá merda, então ele vai parar na linha temporal que já conhecemos, com os personagens trabalhando no parque, que precisarão assumir essa missão e salvar o planeta.

Com isso, temos várias cenas impagáveis e bastante curiosas, como todos os personagens secundários observando seus "eus" do passado - inapropriadamente punks para a época -, a batalha sob rodas a lá Mad Max do Musculosos do presente e passado, fora quase tudo o que rolar na escola dos protagonistas - seguindo devidamente a onda boy band do início dos anos 2000 em seus visuais. Tenho um fraco por dramas estudantis adolescentes, não me julguem.


Não vou me aprofundar tão mais em contar o que ocorre para não tirar a surpresa dos que ainda não viram com spoilers, mas o filme segue bastante a linha do que é mostrado na TV. É aquilo de os episódios começarem de uma forma, então algum evento aleatório faz com que toda a premissa inicial seja mudada para alguma batalha épica e totalmente improvável contra algum inimigo épico e improvável. por isso, eu apenas não tenho do que reclamar.

Só é uma pena a CN não ter investido um pouco mais nisso para que a animação tivesse algumas inovações e texturas diferentes. Em momento nenhum o filme parece ter sido imaginado para as telas de cinema, deixando tudo com a aparência de que esse é só um episódio especial com um pouco mais de uma hora de duração. E essa pobreza sim chegou a me incomodar algumas vezes.


Finalizando, a versão filme de Apenas Um Show é exatamente igual ao que temos na TV: uma animação de boa qualidade, com um roteiro propositalmente trash e sem sentido, mas que conquista pela aventura e pelas piadas aleatórias.

Se essa for a praia de vocês, assistam sem medo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...